Boeing ainda não tem aprovação para voltar às entregas do 787, novo prazo é outubro

As entregas do Boeing 787 Dreamliner estão suspensas desde maio de 2021, depois que o regulador americano (FAA) entendeu que havia a necessidade de corrigir aspectos de segurança na fabricação do modelo. Depois disso, em julho, a própria fabricante revelou que havia detectado problemas adicionais no nariz do avião e estava trabalhando para corrigi-los.

Somando tudo isso, e as respectivas remediações, a nova perspectiva de retomadas das entregas do modelo ficou agora para outubro.

De acordo com o Wall Street Journal, a Boeing teve uma reunião em agosto com funcionários da Federal Aviation Administration (FAA), mas os dois lados não chegaram a um acordo sobre o método de garantia de qualidade do Dreamliner.

“A FAA continua a se envolver com a Boeing enquanto a empresa trabalha para demonstrar a confiabilidade de seu método proposto para inspecionar certos aviões 787 não entregues”, disse a agência em um comunicado. “A FAA não aprovará as inspeções até que nossos especialistas em segurança estejam satisfeitos”.

A Boeing prometeu continuar os esforços para retomar as entregas. De sua parte, a fabricante disse que “embora esse trabalho tenha um impacto de curto prazo em nossas operações, é o curso de ação certo e continuaremos a tomar o tempo necessário para garantir que atendemos aos mais altos padrões”.

E a saga recente do Dreamliner continua. No final do ano passado, as entregas do modelo já tinham sido suspensas por várias semanas após a fabricante ter encontrado milimétricas deformidades na fuselagem.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias