Boeing anuncia nova compra do 737 MAX, chegando a 120 jatos para a Alaska

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Avião Boeing 737 MAX 9 Alaska Airlines
Imagem: Boeing

Depois de ter decidido, em novembro, que alugaria 13 Boeings 737 MAX para substituir os 10 Airbus A320 de sua frota, a companhia aérea norte-americana Alaska Airlines volta a mostrar total confiança no modelo recentemente recertificado e amplia sua carteira de pedidos.

A Boeing e a empresa aérea anunciaram hoje, 22 de dezembro, que a Alaska está comprando mais 23 aviões 737 MAX-9, adicionalmente a seu pedido original e ao acordo de aluguel do mês passado.

Segundo a fabricante, o novo contrato leva o total de pedidos e opções do 737 MAX da Alaska Airlines para 120 aviões, o que dará à quinta maior companhia aérea dos EUA escala, eficiência e flexibilidade para expandir conforme as viagens aéreas se recuperem.

“Estamos extremamente orgulhosos de anunciar este acordo transformador com a Boeing”, disse Brad Tilden, CEO do Alaska Air Group. “Acreditamos neste avião, acreditamos em nossa forte parceria com a Boeing e acreditamos no futuro da Alaska Airlines e nas incríveis oportunidades que temos pela frente, conforme escalamos nosso caminho para sair desta pandemia.”

A Alaska Airlines, operadora de longa data do Boeing 737, fez o primeiro pedido de 32 jatos 737-9 em 2012 como parte de seu programa de modernização da frota. Com esse novo acordo anunciado hoje, já são 55 pedidos firmes para o modelo. Assim, com as 13 aeronaves de aluguel, e mais outras 52 opções reservadas, a transportadora poderá chegar a 120 aviões 737 MAX se confirmadas todas as opções.

Imagem: Boeing

Os líderes da Alaska Airlines e da Boeing anunciaram o acordo durante uma cerimônia de assinatura nas instalações de entrega da Boeing em Seattle, ladeados por um novo 737-9 que estará entre os primeiros jatos a serem operados pela companhia.

A empresa aérea vai configurar o jato com 178 assentos em uma configuração de três classes. O avião pode voar 3.550 milhas náuticas, cerca de 600 milhas a mais que seu antecessor.

Informações da Boeing

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias