Boeing cede o raro 747 Dreamlifter para transportar suprimentos médicos

A Boeing anunciou que está oferecendo seu grande avião de carga 747-400LCF “Dreamlifter” para transportar suprimentos essenciais e urgentemente necessários, em uma continuação de seu apoio aos esforços de socorro aos impactados pela COVID-19. 

Foto de Altair78 via Wikimedia Commons

O Boeing 747 Dreamlifter, operado pela Atlas Air, é uma das maiores aeronaves de carga da atualidade. Ele foi construído para ajudar a transportar peças do Boeing 787 Dreamliner de todo o mundo para as linhas de montagem nos Estados Unidos. A aeronave em si é uma versão modificada do 747 da Boeing.

Além disso, a Boeing doou suprimentos para apoiar esses esforços. Isso inclui dezenas de milhares de máscaras, luvas e equipamentos médicos para hospitais. 

A fabricante está comprometendo-se com os conhecimentos de engenharia, fabricação e logística para ajudar a combater o vírus. “As máquinas de fabricação de aditivos em nossas fábricas utilizarão os recursos de impressão 3D para produzir milhares de protetores faciais necessários por semana”, disse Jerry Varghese, vice-presidente de marketing global de marcas da Boeing.

Primeira missão

Nas primeira horas da madrugada deste sábado, 28 de março, o Dreamlifter decolou para sua primeira missão humanitária, levando os equipamentos doados pela Boeing desde a planta de Charleston para Taranto, no extremo sul da Itália. O avião pousou na cidade italiana às 14h30 locais, conforme indicam dados do FlightRadar24 (ver imagem abaixo).

Mais missões como essa devem ser realizadas nos próximos dias, na medida em que a luta conta contra o Coronavírus se intensifica em todo o mundo ocidental.

Em junho de 2006, o primeiro Boeing 747 modificado para carregar as peças do 787 foi concluído. Em dezembro de 2006, a Boeing anunciou que o 747 seria chamado Dreamlifter, uma referência ao nome do 787 Dreamliner. 

A certificação foi concluída em 2007 e, desde então, o Dreamlifter passou a entregar as principais seções do 787 de locais parceiros em todo o mundo para a fábrica da Boeing em Everett, Washington, para montagem final. Essa foi a melhor maneira encontrada pela Boeing de alimentar sua linha de montagem, reduzindo um tempo de dias para algumas horas até que as peças fossem entregues. Além do mais, algumas peças, como as asas, eram grandes demais para serem transportadas em contêineres de navios.

Dos quatro 747 Dreamlifters fabricados pela Boeing, três estavam completos e operacionais em junho de 2008 e o quarto entrou em operação em fevereiro de 2010. Todos eles voam até hoje.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias