Boeing conclui a produção do último jato do modelo 777-200LR

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Na última sexta-feira (26), pousou no aeroporto de Everett, onde fica uma das fábricas da Boeing, o último jato do modelo 777-200LR produzido. A foto da chegada da aeronave, após ter sido pintada em Portland, foi registrada pela fotógrafa Jennifer Schuld e compartilhada em seu perfil no Twitter.

Segundo dados da Boeing, resta apenas mais uma encomenda não entregue para um Boeing 777-200LR, a qual foi colocada pela empresa aérea nacional do Turcomenistão, a Turkmenistan Airlines, em 2019. Assim que for entregue, nos próximos dias, a Boeing estará sacramentando o fim da produção do seu primeiro Worldliner.

O jato em questão terá a matrícula EZ-A780 e se juntará a outros três que já voam na frota da empresa asiática.

Um modelo especial

Esse modelo é especial porque é a aeronave comercial da Boeing com o maior alcance do mundo. Sua sigla LR vem de “long range” ou longo alcance em inglês. Ele entrou em serviço em 2006 e foi logo apelidado de Worldliner pela fabricante, dada sua capacidade de conectar quase que quaisquer dois aeroportos do mundo (em alcance, sem considerar as restrições ETOPS).

Essa capacidade extra vem de seu MTOW (peso máximo de decolagem) aumentado e três tanques de combustíveis extras que podem ser colocados no lugar do porão de carga. O Boeing 777-200LR também tem asas mais inclinadas, um reforço estrutural adicional e um trem de pouso ajustado especialmente para ele.

O modelo 200LR foi estreado pela Pakistan International Airlines (PIA) em 26 de fevereiro de 2006. Até hoje, doze clientes diferentes receberam 61 aeronaves, com apenas um pedido não atendido, exatamente esse da Turkmenistan Airlines. 

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias