Boeing e Airbus preparam-se para possíveis cancelamentos de encomendas da Etihad

A Airbus e a Boeing estão se preparando para possíveis mudanças em dezenas de pedidos de aviões da Etihad Airways, que encontra-se pressionada por uma revisão de toda a empresa, disseram à Reuters quatro fontes familiarizadas com o assunto.




A Etihad vem revisando seus negócios desde 2016, quando os investimentos em outras companhias aéreas contribuíram para uma perda de quase US$ 2 bilhões para a transportadora estatal de Abu Dhabi.

A Etihad está avaliando suas opções para mais de 160 aeronaves que encomendou, considerando desde a troca de modelos e atrasos de entregas até cancelamentos definitivos, disseram as fontes. Uma decisão final pode ser baseada em uma combinação das três opções, disse uma fonte. Etihad, Boeing e Airbus recusaram-se a comentar os rumores.

A Etihad tem encomendas de 88 jatos da Airbus e 78 da Boeing por um valor estimado em dezenas de bilhões de dólares, em grande parte devido a acordos assinados em 2013, que devem começar a ser entregues a partir deste ano. As encomendas incluem 62 Airbus A350 e 52 Boeing 787 Dreamliners, de acordo com os sites dos dois fabricantes de aviões.

A maior parte da aeronave foi encomendada quando a Etihad estava buscando uma estratégia agressiva de expansão para acompanhar os rivais regionais Emirates e Qatar Airways. A Etihad disse então que, sob os acordos com a Airbus e a Boeing, poderia transferir ordens para as companhias aéreas nas quais havia investido. Naquela época, a companhia aérea tinha participações em várias outras transportadoras.

A estratégia de expansão aparentemente entrou em colapso no ano passado, quando a Air Berlin e a Alitalia pediram insolvência depois que a Etihad investiu nelas. A Air Berlin, um dos maiores investimentos da Etihad, encerrou suas atividades em outubro do ano passado, enquanto a Alitalia, a mais importante, não deve adicionar nenhuma aeronave enquanto o processo de insolvência continuar. A Etihad atualmente detém participações em quatro outras companhias aéreas.

 
Informações pela Reuters.
 

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.