Boeing e Alaska Airlines vão testar 20 novas tecnologias em um novo 737-9

A Boeing e a Alaska Airlines anunciaram hoje que vão testar cerca de 20 tecnologias em um novo 737-9 com o objetivo de aumentar a segurança e a sustentabilidade das viagens aéreas. A parceria entre as empresas é parte do programa Boeing ecoDemonstrator.

Em voos que começarão no final de junho, a Boeing e a Alaska Airlines testarão um novo agente extintor de incêndio sem halon (hidrocarboneto halogenado), que reduz significativamente os efeitos na camada de ozônio. Além disso, as empresas vão avaliar uma nacela do motor, projetada para reduzir o ruído e paredes laterais da cabine feitas de material reciclado, entre outros projetos.

“Temos um longo histórico de trabalho com a Boeing para o avanço da indústria nos âmbitos da tecnologia, segurança e eficiência de combustível”, disse Diana Birkett Rakow, vice-presidente de relações públicas e sustentabilidade da Alaska Airlines. “A Alaska Airlines voa para algumas das regiões mais bonitas e geograficamente diversas do mundo e estamos empenhados em encontrar maneiras de reduzir os impactos climáticos em nossa rede. Este trabalho com a Boeing para acelerar a inovação por meio do programa ecoDemonstrator nos permite contribuir para um futuro mais sustentável para toda a comunidade”.

Desde 2012, o programa ecoDemonstrator acelera a inovação. Cerca de 200 tecnologias promissoras já foram levadas dos laboratórios para testes no ar, com o objetivo de enfrentar os desafios da indústria da aviação e melhorar a experiência do passageiro.

“A Boeing está empenhada em melhorar, continuamente, a segurança aérea e a performance ambiental de nossos produtos”, afirmou Stan Deal, presidente e CEO da Boeing Commercial Airplanes. “Estamos orgulhosos de colaborar neste ano com a Alaska Airlines e outros parceiros ao redor do mundo para tornar os voos mais sustentáveis.”

Em cinco meses de testes de voo do ecoDemonstrator, a Boeing e a Alaska trabalharão com outros nove parceiros para testar novas tecnologias. Após a conclusão dos testes, o avião será configurado para o serviço de passageiros e entregue à companhia aérea. As tecnologias do programa incluem:

· Testar um novo agente extintor de incêndio para aeronaves, que reduz significativamente os efeitos na camada de ozônio. Este material tem como objetivo substituir o Halon 1301, que não é mais produzido.

· Colaborar com a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos EUA para medir os níveis de gases de efeito estufa na atmosfera, apoiando a modelagem climática e previsões de longo prazo da agência.

· Avaliar conceitos de revestimento acústico dentro da nacele do motor que podem reduzir o ruído nos motores atuais e servirão como base os projetos de modelos de próxima geração.

· Reciclar material de compósito de carbono da produção de asas do Boeing 777X em um painel da parede lateral da cabine. Este material leve e durável reduziria o uso de combustível e as emissões de carbono, além de reforçar os objetivos da Boeing de fabricação sustentável.

Os aviões atuais e futuros da Boeing utilizam uma série de tecnologias avaliadas em testes anteriores do ecoDemonstrator, como:

· Winglets de tecnologia avançada na família 737 MAX que reduzem o uso de combustível e as emissões.

· Aplicativos para iPad que fornecem informações sobre o clima em tempo real e outros dados aos pilotos, melhorando a eficiência do combustível e reduzindo as emissões de CO2. Esses aplicativos complementam os serviços de análise digital que a Boeing oferece para ajudar as companhias aéreas a otimizar a utilização da frota.

· Um sistema de câmera no novo 777X que aumentará a segurança, ajudando os pilotos a evitar obstáculos no solo.

“A Boeing em 2020 enfatizou ainda mais a sustentabilidade para se alinhar às prioridades de nossos públicos de interesse e de nosso negócio, bem como aos nossos valores”, disse Chris Raymond, diretor de sustentabilidade da Boeing. “Por meio de nossa colaboração com parceiros da indústria, o programa ecoDemonstrator é um grande exemplo de nosso compromisso em trabalhar juntos para tornar o voo mais seguro e sustentável para as gerações atuais e futuras.”

Os voos de teste do ecoDemonstrator são realizados com uma mistura de combustível de aviação sustentável (Sustainable Aviation Fuel, SAF, na sigla em inglês) e à base de petróleo. Usado de forma regular atualmente, o SAF reduz as emissões de CO2 do ciclo de vida em até 80% e oferece o maior e mais imediato potencial para diminuir as emissões nos próximos 20 a 30 anos em todos os mercados de aviação comercial.

Em janeiro deste ano, a Boeing se comprometeu a garantir que seus aviões comerciais sejam capazes e certificados para voar com 100% de SAF até 2030. A empresa também planeja trabalhar com as autoridades regulatórias e toda a indústria para aumentar o atual limite de mistura de 50% para uso ampliado dos combustíveis sustentáveis de aviação. O cargueiro ecoDemonstrator 777 da Boeing de 2018 fez história como o primeiro avião comercial do mundo a voar com combustível 100% sustentável.

Injformações da Boeing – boeing.com/ecodemonstrator

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Política de preço de querosene de aviação será debatida na Câmara...

0
Serão debatidos os sucessivos aumentos de preço, devido à política de paridade de preço internacional adotada pela Petrobras.