Boeing economizará “apenas” 10% ao fechar uma das linhas de produção do 787

A decisão por fechar uma das linhas de produção do 787 Dreamliner, exatamente a de sua terra natal, gerou polêmica da Boeing, mas quanto a empresa irá de fato economizar ao fazer esta mudança?

787-8 no Museum of Flight em Boeing Field, Seattle – Washington

Segundo a empresa de consultoria de investimento Jefferie revelou à FlightGlobal, a fabricante norte-americana economizará $850 milhões de dólares (R$4,7 bi) anualmente ao fechar a linha de montagem do 787 Dreamliner em Everett no estado de Washington, concentrando toda a produção na Carolina do Sul.

A decisão da Boeing não agradou muito a comunidade do estado de Washington, que viu sua maior empregadora tirar a produção do seu produto mais inovador de seu estado natal. Mas, se ambas as linhas tivessem mantidos abertas o custo anual para a produção do jato seria de $8,5 bilhões de dólares em 2023. Agora com a unificação da produção em Charleston, Carolina do Sul, este custo será de R$7,6 bilhões, 10% a menos.

O ano de 2023 é citado porque seria quando a Boeing teria transferido completamente seu pessoal, maquinário de Washington para a Carolina do Sul, finalmente unificando as linhas de produção.

A economia não será maior porque o 787 é uma aeronave global, que tem fornecedores por todos os EUA e o mundo, e a unificação da linha de produção não reduzirá este custo.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagens pela Avianca Brasil e Azul Linhas Aéreas. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias