Boeing entrega hoje o primeiro 737-8200 da história

Foto: Woody’s AeroImages

Decolou de Seattle no começo da madrugada desta quarta-feira, dia 16 de junho, o primeiro Boeing 737 MAX 8200 ou apenas 737-8200 a ser entregue na história. Os dados do RadarBox mostram que o jato deve realizar um voo direto de mais de nove horas até sua base em Dublin, na Irlanda.

A entrega da aeronave está atrasada em alguns meses. Após a liberação do modelo, no final do ano passado, a Ryanair esperava receber seu primeiro exemplar no começo do segundo trimestre. No entanto, um problema com a parte elétrica do MAX atrasou um pouco mais, o que chegou a irritar a empresa.

Fato é que a Ryanair é o maior cliente europeu do MAX, com 210 pedidos firmes para o modelo MAX 8200 (até agora), o qual tem 197 lugares e foi desenvolvido sob medida para a low-cost. O objetivo da companhia era receber 16 aeronaves até o verão (embora não esteja certo de que chegará a esse objetivo devido aos atrasos), em comparação com uma previsão anterior de 40.

Imagem: RadarBox

Por que 8200

Já vimos falando desse modelo há alguns anos aqui no AEROIN, pois é um excelente exemplo de como a indústria aeronáutica se adapta às necessidades das empresas aéreas e características dos mais diversos mercados. Na verdade, a versão 8200 não apresenta nenhuma mudança de dimensões externas em relação ao 737 MAX 8, mas tem modificações de cabine que a tornam uma aeronave capaz de levar mais passageiros com segurança.

Basicamente, esta aeronave tem portas de saída a mais para garantir a evacuação segura de um maior número de passageiros em caso de acidentes e incidentes, podendo acomodar até 200 assentos (daí o nome 8200), graças ao espaço reduzido para 28 polegadas (71 cm) entre eles. Todo esse “aperto” permite que essa variante seja 5% mais econômica por assento e com um custo operacional apenas 1% maior em comparação com MAX-8.

Mesmo sem ainda ter operado comercialmente com o jato, a Ryanair aumentou, em dezembro, sua carteira de pedidos do modelo. Agora, são esperados para os próximos anos nada menos do que 210 exemplares na frota da empresa irlandesa, das quais 50 chegam até 2022.

Nos primeiros dias de abril desse ano, a Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA – Federal Aviation Administration) concedeu a certificação para o modelo.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias