Boeing já enfrenta desafio no projeto de sua nova aeronave: capacidade de carga

A Boeing pode precisar repensar uma das características mais distintivas do novo jato de médio alcance proposto para conquistar clientes na Ásia, potencialmente o maior mercado do avião. A baixa capacidade de carga.




A fabricante enfrenta um enigma para o avião chamado 797 por observadores da indústria, disse Domhnal Slattery, fundador e diretor executivo da Avolon Holdings Ltd., a terceira maior empresa de locação de aeronaves do mundo.

As três maiores operadoras dos EUA e suas concorrentes em todo o Pacífico têm opiniões muito diferentes sobre a quantidade de bagagem e carga que os aviões devem transportar, com companhias aéreas asiáticas pressionando por uma maior capacidade nos porões, disse Slattery. O desacordo questiona a fuselagem distintiva de forma oval que a Boeing planeja para o 797, que sacrifica espaço para carga em favor da aerodinâmica melhorada e conforto dos passageiros.

“As maiores companhias dos Estados Unidos têm um apetite por menos carga do que as asiáticas”, disse ele. “Tipicamente nos Estados Unidos, são cinco toneladas de carga. Os asiáticos querem 10 toneladas para esta aeronave. Então, para quem você o constrói?”

 
Com informações da Bloomberg.
 

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.