Boeing mostra números de maio, já são mais de 600 pedidos do 737 MAX cancelados

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

A Boeing apresentou hoje, 9 de junho, seus números relacionados a entregas, encomendas e cancelamentos no mês de maio desse ano. E a situação permanece complicada para o 737 MAX.

Avião Boeing 737MAX
Imagem: Boeing.

De acordo com os dados divulgados pela Boeing em sua página, até 31 de maio deste ano, a gigante de Seattle acumula um número líquido de 602 desistências de pedidos. O maior detrator para o indicador continua a ser o 737 MAX, afetado pelos problemas que levaram aos dois acidentes fatais, que provocaram o impedimento de sua operação em todo o globo até nova certificação. No mês de maio, o MAX sozinho registrou mais 95 cancelamentos.

E, por falar do 737 MAX, até 31 de maio, já foram 615 cancelamentos. O B777, no mesmo período, contribuiu com outros 13 cancelamentos e mais 4 cancelamentos entram na conta do B747 (que já eram reportados em abril).

No caminho inverso, houve um número líquido de 22 encomendas do B787 e oito para o B767, o que impediu que os números de cancelamentos líquidos fossem ainda piores e que todos os modelos registrassem balanços negativos.

Entregas

Com relação a entregas, em maio a Boeing entregou somente 4 aeronaves, três delas de versão cargueira. Foram dois 777F para a China Southern Airlines e mais um 767-300F para a UPS. A quarta aeronave entregue pela fabricante foi a versão militar do B737-800, destinada a missões navais, denominada P-8A Poseidon, para a marinha americana.

Com relação a maio de 2019, a Boeing apresentou uma queda nas entregas de 87%. No acumulado do período (até maio), a Boeing registra em 2020 uma queda nas entregas de cerca de 70% comparado com 2019, quando foram entregues 202 aeronaves, contra as 60 aeronaves entregues até maio agora.

Encomendas

Com relação a encomendas, a fabricante lista em maio um total de nove aeronaves encomendadas, divididas da seguinte forma: seis 767-300F (sendo um para a FedEx), dois 777F (cliente não identificado) e um 747-8F, para a UPS.

Mais uma vez chama a atenção o fato de que todas as encomendas de maio tenham sido para aeronaves cargueiras. Curiosamente em maio de 2019 a Boeing não registrou encomendas. Porém, em relação ao acumulado no período, foram 58 encomendas agora, contra 96 no mesmo período de 2019, uma queda de cerca de 40%.

No total, até maio desse ano, a Boeing tem uma carteira de 5.301 aeronaves ainda a serem entregues. Desse total, 4.232 são do modelo 737 MAX.

A julgar pela crítica situação das empresas aéreas atualmente, em vista ao impacto da pandemia do novo coronavírus, aliada à demora na recertificação do 737 MAX, novos cancelamentos deverão ser observados nos meses vindouros.

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Rodnei Diniz
Engenheiro aeronáutico e mecânico, atuante em gestão de manutenção aeronáutica, aviação geral, executiva e comercial. Atento aos detalhes, gosta de ler e escrever sobre a história da aviação.

Veja outras histórias

Mais uma aérea coloca, de imediato, pilotos de volta à ativa...

0
Com o anúncio, a empresa se torna a segunda a mostrar reflexos positivos da evolução da pandemia após o início da vacinação.