Início Indústria Aeronáutica Boeing mostra os resultados do 3º trimestre de 2021, veja cada um...

Boeing mostra os resultados do 3º trimestre de 2021, veja cada um dos segmentos

Boeing COmpany Prédio Administrativo
Imagem: Boeing

A Boeing Company publicou hoje, 27 de outubro, seus resultados referentes ao terceiro trimestre de 2021, indicando que obteve receita de US$ 15,3 bilhões no período, impulsionada por um maior volume de aviões comerciais e serviços. O fluxo de caixa operacional foi de menos US$ 0,3 bilhão.

“Estamos impulsionando a estabilidade em nossas operações, investindo em nosso futuro e posicionando nossas equipes para atender aos nossos clientes à medida que o mercado se recupera”, disse o presidente e diretor executivo da Boeing, David Calhoun.

“A demanda do mercado comercial continua ganhando força com a ampla distribuição de vacinas e protocolos de fronteira começando a se abrir. No futuro, a capacidade da cadeia de suprimentos e o comércio global serão os principais impulsionadores de nossa indústria e da recuperação da economia em geral. Nosso portfólio comercial, de defesa, de espaço e de serviços está bem posicionado e estamos focados em melhorar o desempenho, ao mesmo tempo em que avançamos nas tecnologias e nas capacidades de manufatura digital para impulsionar nossa próxima geração de produtos e um futuro sustentável.”

O fluxo de caixa operacional aumentou para menos US$ 0,3 bilhão no trimestre, refletindo maiores entregas comerciais, maiores recebimentos de pedidos e menores despesas. O fluxo de caixa operacional também foi impactado favoravelmente por uma restituição de imposto de renda de US$ 1,3 bilhão no trimestre.

O caixa e os investimentos em títulos negociáveis diminuíram para US$ 20,0 bilhões, em comparação com US$ 21,3 bilhões no início do trimestre, principalmente devido ao pagamento de dívidas e saídas de caixa operacionais. A dívida foi de US$ 62,4 bilhões, ante US$ 63,6 bilhões no início do trimestre, devido ao pagamento de dívidas vincendas.

A carteira de pedidos total da empresa no final do trimestre foi de US$ 367 bilhões.

Resultados por segmentos

Aviões Comerciais

Boeing 737 MAX-8 – Imagem: Aka The Beav / CC BY 2.0, via Wikimedia Commons

A receita de Aviões Comerciais no terceiro trimestre aumentou para US$ 4,5 bilhões, impulsionada principalmente por entregas maiores do 737, mas parcialmente compensadas por perdas em entregas menores do 787.

A Boeing afirma que está continuando a progredir no retorno global seguro ao serviço do 737 MAX. Desde a aprovação da FAA para devolver o 737 MAX às operações em novembro de 2020, a Boeing entregou mais de 195 aeronaves dotipo e as companhias aéreas colocaram de volta ao serviço mais de 200 aviões anteriormente aterrados.

Trinta e uma companhias aéreas estão operando o 737 MAX, voando em mais de 206.000 voos regulares, totalizando mais de 500.000 horas de voo (dados até 24 de outubro de 2021). O programa 737 está produzindo atualmente a uma taxa de 19 unidades por mês e continua a progredir para uma taxa de produção de 31 por mês no início de 2022, e a empresa está avaliando o momento de novos aumentos de taxa.

A empresa continua a concentrar os recursos de produção do 787 na realização de inspeções e retrabalho e continua a se envolver em discussões detalhadas com a FAA sobre as ações necessárias para retomar a entrega. A taxa de produção atual do 787 é de aproximadamente dois aviões por mês.

A empresa espera continuar nesse ritmo até que as entregas sejam retomadas e depois voltem a cinco por mês ao longo do tempo. As baixas taxas de produção e retrabalho devem resultar em aproximadamente US$ 1 bilhão de custos anormais, dos quais US$ 183 milhões foram registrados neste último trimestre.

A divisão de Aviões Comerciais garantiu pedidos de 70 jatos 737 MAX, 24 cargueiros e 12 aviões 787. As entregas foram de 85 aviões durante o trimestre e a carteira de pedidos inclui mais de 4.100 aviões avaliados em US$ 290 bilhões.

Defesa, Espaço e Segurança

A receita do terceiro trimestre do segmento de Defesa, Espaço e Segurança diminuiu para US$ 6,6 bilhões, principalmente devido a uma cobrança de receita de US$ 185 milhões no programa de Tripulação Comercial impulsionado pelo segundo Teste de Voo Orbital ainda sem tripulantes, agora previsto para 2022 e a última avaliação do trabalho restante.

Durante o trimestre, o Defesa, Espaço e Segurança garantiu encomenda para cinco aeronaves P-8A Poseidon para a Marinha Alemã e quatro helicópteros CH-47F Block II Chinook para o Exército dos EUA, bem como um contrato Conjunto de Munição de Ataque Direto para a Força Aérea dos EUA.

O Defesa, Espaço e Segurança também conduziu o reabastecimento aéreo não tripulado de um E-2D e um F-35C da Marinha dos EUA através do drone MQ-25, e entregou um total de 37 aeronaves durante o trimestre, incluindo o primeiro CH-47F Chinook para o Exército Real Australiano.

A carteira de pedidos de Defesa, Espaço e Segurança era de US$ 58 bilhões ao final do 3º trimestre, dos quais 33% representam pedidos de clientes fora dos EUA.

Serviços Globais

A receita do segmento de Serviços Globais no terceiro trimestre aumentou para US$ 4,2 bilhões, impulsionada principalmente pelo maior volume de serviços comerciais. A margem operacional também foi impactada favoravelmente por menores custos de rescisão e mix de produtos e serviços.

Durante o trimestre, o Serviços Globais capturou pedidos de conversão de 12 cargueiros 737-800 adicionais para a BBAM, um contrato para suporte logístico baseado em desempenho da frota C-17 global e um contrato de modificação de Chinook para sistemas de supressão de infravermelho para as Forças Armadas do Reino Unido.

O segmento de Serviços Globais também anunciou uma parceria para expandir a capacidade do programa de conversão 767-300 Boeing Converted Freighters e foi selecionada para fornecer treinamento para a United Aviate Academy.

Informações da Boeing

Sair da versão mobile