Boeing pode ser processada por vender e não entregar aviões às companhias iranianas

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Foto por Smitty82 via Wikimedia

“As companhias aéreas iranianas têm o direito de entrar com uma ação legal contra a Boeing, já que a fabricante de aviões americana deve ser responsabilizada por não honrar os contratos com o país”, disse o ministro iraniano de Estradas e Desenvolvimento Urbano, Mohammad Eslami.

Em comentários nesse sábado, Eslami disse que a Iran Air e outras companhias aéreas iranianas têm o direito natural de responsabilizar a Boeing pelos contratos assinados no passado. “Seria legalmente justificável se as companhias aéreas iranianas agissem para cumprir seu contrato com a Boeing”, acrescentou.

A transportadora de bandeira nacional do Irã, Iran Air, encomendou 100 aviões de passageiros da Airbus, 80 da Boeing e 20 da ATR após o acordo nuclear de 2015, mas os contratos dependiam de licença dos EUA por causa do uso pesado de peças americanas nos aviões.

A Boeing não teve como cumprir com o acordo histórico depois que Donald Trump assumiu o cargo em 2017, e recolocou as sanções sobre os persas. Com isso, a fabricante de aviões até mesmo entregou a outros clientes alguns dos jatos que antes eram destinados à Iran Air.

Um legislador iraniano disse na época que Teerã processaria a Boeing em tribunais internacionais por não cumprir seu acordo, o que, aparentemente, deve ocorrer a partir de agora.

Por outro lado, um processo agora também poderia atrapalhar os planos das companhias iranianas em reaver esse acordo, caso o novo presidente Joe Biden retome as negociações do tratado sobre o enriquecimento de urânio.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias