Boeing prevê que há apetite de investidores para o financiamento da aviação

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

A Boeing acredita que o financiamento global e diversificado de aeronaves devem continuar acontecendo à medida que o setor de aviação enfrenta a pandemia global e a implantação de vacinas continua a acelerar.

“Financiadores e investidores entendem a resiliência da indústria e os fundamentos de longo prazo que tornam as aeronaves uma classe de ativos valiosos”, disse Tim Myers, presidente da Boeing Capital Corporation. “Apesar dos impactos sem precedentes da COVID-19 na indústria aeroespacial global, continua a haver liquidez no mercado para nossos clientes e esperamos que melhore ainda mais à medida que as viagens começam a se recuperar”.

O 2021 Current Aircraft Finance Market Outlook (CAFMO), o primeiro publicado desde 2019, reflete a visão de curto prazo da Boeing sobre a dinâmica do mercado e avalia as fontes de financiamento para novas entregas de aviões comerciais. 

“Os fundamentos da indústria continuam a mostrar vários graus de força em diferentes mercados, dependendo das tendências regionais da pandemia global”, disse Myers. “Esperamos que o capital continue a ser direcionado para o setor por participantes estabelecidos e à medida que novos participantes buscam oportunidades durante a recuperação do setor”.

O 2021 CAFMO informa que o ambiente de financiamento de aeronaves terminou 2020 com liquidez suficiente para financiar as entregas, mas com tensões particularmente nos mercados de dívida bancária e de ações fiscais.  Os destaques do relatório incluem o seguinte:

– No nível da indústria, o volume de financiamento para entrega de aeronaves comerciais totalizou US$ 59 bilhões, uma redução de 40% em relação aos níveis de 2019.

– As principais fontes de financiamento de entrega da Boeing foram dinheiro, dívida bancária e mercado de capitais, e 100% das entregas da Boeing foram financiadas por terceiros.

– Os locadores de aeronaves executaram um volume significativo de transações de sale-leaseback e a frota alugada em todo o setor aumentou 46%.

– Os mercados de capitais para volumes de aviação foram 70% maiores do que 2019.

– Os bancos comerciais sustentaram a necessidade de liquidez do setor de aviação no início da pandemia, mas a dívida bancária de longo prazo tornou-se uma das formas de financiamento menos utilizadas.

– Os investidores institucionais e os fundos continuaram a buscar exposição à aviação, aumentando à medida que alguns financiadores pararam e os spreads de crédito do setor aumentaram.

– As agências de crédito à exportação continuam sendo uma pequena, mas importante fonte de financiamento durante a pandemia.

– O financiamento com reforço de crédito teve mais avanços como fonte de financiamento complementar, totalizando 4% do mix de financiamento para entregas da Boeing.

O Boeing 2020 Commercial Market Outlook, uma previsão anual para 20 anos que aborda o mercado de aviões comerciais e serviços, projeta um crescimento do tráfego de passageiros a uma taxa média de 4% ao ano. A frota comercial global deve chegar a 48.400 aviões até 2039, ante 25.900 aviões hoje.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias