Boeing procura maneiras de reduzir custos de produção do 787-8

Boeing 787-8 da ANA – Toshi Aoki – JP Spotters via Wikimedia Commons

O menor dos 787 Dreamliners está na mira da Boeing para um esforço sério de redução de custos, visando a manter a viabilidade do modelo em meio à crise. Segundo Scott Hamilton, da Leeham News & Analysis, a Boeing quer manter uma taxa de lucro mais próxima dos maiores 787-9 e 787-10, que têm um custo de produção um pouco mais alto, mas levam mais passageiros e, portanto, a fabricante pode cobrar mais por eles.

Em 2018, a cauda do 787-8 foi modificada para ser igual a dos modelos maiores, reduzindo custos, simplificando processos e trazendo para 40% a taxa de compatibilidade com os outros modelos. Agora, a empresa procura outros meios de aumentar essa sinergia para baixar ainda mais o custo de produção do menor dos Dreamliners.

O modelo -8 ainda sofre em alguma escala com o dano à sua imagem causada pelos problemas iniciais na bateria, que inclusive gerou um incêndio em julho de 2013. O problema em si não era específico do menor modelo, mas por ser o primeiro a sair de fábrica, foi a “testa de ferro” do projeto. Soma-se isso o fato de que o avião não substituiu completamente a linha 767, por ser maior, mais pesado, e bem mais caro, se tornando um produto de nicho.

No gráfico acima, a Leeham, é possível perceber que o 787-8 tem mais encomendas que o 787-10 no total, mas um número menor de encomendas faltantes, o que faz com que apenas um jato -8 saia da linha de produção a cada dois meses.

Conseguir clientes agora na pandemia não será fácil, já que o mercado de aviões usados, incluindo o Dreamliner, tem aumentado muito, mas a estratégia da Boeing no longo prazo é baixar o preço sem diminuir o lucro.

Para isso, pode inclusive recorrer à uma medida drástica: fechar uma das duas fábricas do 787 Dreamliner, seja na Carolina do Norte ou em sua terra natal.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagens pela Avianca Brasil e Azul Linhas Aéreas. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

Balão cai em Aeroporto do Rio e baloeiros invadem pista para...

0
Um balão não tripulado acabou caindo num Aeroporto do Rio de Janeiro, e sem muita cerimônia baloeiros tentaram recuperá-lo.