Boeing quer entregar 737 MAX antes de pilotos passarem por treinamento

A Boeing quer voltar a entregar os jatos 737 MAX antes do final do ano, e para isso não quer esperar os pilotos passarem pelo novo treinamento.

Cockpit Boeing 737 MAX
CEO da Boeing a bordo do simulador do 737 MAX

A informação é do Wall Street Journal e foi divulgada por fontes próximas da Boeing. A fabricante americana se prepara para que a FAA homologue novamente o jato problemático no próximo mês.

O 737 MAX é o centro da maior crise que a Boeing já passou. O jato se envolveu em dois acidentes fatais, tendo como a sua maior falha ativa o sistema MCAS, que toma o controle da aeronave em certas situações. Este sistema, porém, não havia sido divulgado para as companhia aéreas e tampouco para os pilotos.

Desde a divulgação dos dados preliminares do segundo acidente, envolvendo um 737 MAX 8 da Ethiopian Airlines em março, as companhias aéreas pelo mundo começaram a manter seus aviões no chão, tanto por decisões próprias quanto por ordem das agências reguladoras.

Passado vários meses, a Boeing afirma ter encontrado a solução, atualizando o software e modificando os manuais. Par isso, os pilotos agora tem que passar por um novo treinamento.

Agilizando as entregas

Voltar a fazer entregas este ano seria um grande ponto para a Boeing, e alivaria pressão dos seus investidores e também do público.

Ao mesmo tempo permitiria que as aéreas colocassem os jatos de volta à ativa assim que um número mínimo de pilotos terminassem o novo treinamento, reduzindo prejuízos.

Para isso, a Boeing tem trabalhado com a FAA, que normalmente certifica os manuais e programas de treinamento semanas após o avião ser certificado. Caso isto se siga, o avião só volta aos céus no ano que vem.

Por um outro lado, existe a questão das entregas efetivamente: quando o avião fica pronto, pilotos da companhia vão até a fábrica da Boeing, fazem um voo de aceitação verificando se está tudo de acordo com o pedido, e logo depois voam com a aeronave para a base da companhia.

Caso a entrega possa ocorrer antes da aprovação do novo treinamento, estes voos teriam que ser feitos com pilotos da Boeing, acompanhado de pilotos das companhias aéreas.

A Southwest Airlines e a American Airlines já afirmaram que irão colocar de volta o 737 MAX em serviço apenas quando todos seus pilotos de 737 tiverem passado pelo novo treinamento.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

Vem ao Brasil por duas vezes o clássico MD-11, veja a...

0
Diante da forte demanda de carga aérea, a FedEx programou dois voos com seus clássicos MD-11 em aeroporto brasileiro.