Boeing revela cockpit do 777X e controle da asa dobrável

A Boeing revelou, durante o Dubai Air Show 2017, a cabine do Boeing 777X, que será o maior avião bimotor já construído no mundo. A cabine assemelha-se muito à do Boeing 787 Dreamliner, último grande lançamento da Boeing. Porém um dos diferenciais estará nos comandos para a dobra de asa, funcionalidade militar utilizada desde a Segunda Guerra Mundial e que estará presente pela primeira vez num avião comercial, reduzindo a envergadura do 777X de 72 para 65 metros.

A cabine contará com cinco telas touchscreens LCD de 15,1 polegadas da Rockwell Collins, sendo quatro para a instrumentação e uma central, próxima às manetes de potência, para o computador de voo. Basicamente é a mesma configuração de displays utilizada no 787 e no 737 MAX, sendo que esta última pode ser instalada no 757 e 767 com um certificado de tipo suplementar. A Rockwell Collins também está fornecendo os controles de voo, sistema de áudio digital e o painel de controle.

“O layout em geral é similar ao do 777 e do 787”, disse o vice-presidente do projeto 777X e engenheiro chefe, Terry Beezhold. “Nós tentamos manter o mesmo layout para treinamento de simulação e ter uma habilitação de tipo comum, e queremos minimizar o tempo de transição entre as famílias 787 e 777”. O 777X também contará com HUD – Head-Up-Display – como opcional, as pequenas telas transparentes na altura dos olhos iguais aos aviões de caça.

Botão tem os modos AUTO (automático) e MAN (manual).

O painel superior é similar ao 787, incluindo o suporte para o HUD. Porém foram adicionados alguns extras para o controle das asas dobráveis, um recurso do 777X para permitir que a aeronave opere nos aeroportos que recebem o 777 atualmente, já que as novas asas do 777X são bem maiores que as dos 777 atuais. “No lado esquerdo do painel superior, exatamente acima do assento esquerdo, está o botão de dobra automática (veja foto acima), que pode ser configurado em AUTO ou MAN, respectivamente automático e manual”, disse Terry. Normalmente as tripulações irão operar ele em automático. Nesta função AUTO as pontas de asas irão dobrar automaticamente quando o avião livrar a pista após o pouso em uma velocidade pré-definida.

Switch tem as poisções dobradas (FOLD) e extendidas (EXTEND).

Porém para decolagem, a tripulação irá usar um switch no centro do painel superior central como parte do check-list pré-decolagem. Este switch (foto acima) vai estender as pontas de asas manualmente e travá-las. O próprio switch lembra uma pequena ponta de asa, e quando o botão de pouso é acionado ele vai automaticamente para a posição que a ponta de asa está. Quando a asa estiver estendida, um aviso verde ficará aceso no painel principal alertando a tripulação que está baixada e travada, assim como é o aviso de trem de pouso.

Outras características do 777X incluem duas posições adicionais de flaps. Agora, além das posições UP, 1, 5, 15, 20, 25 e 30, existirão as posições 17 e 18. Como no 787, as indicações de flap são apenas representações das posições pré-definidas para pouso e decolagem, algo que não é visto nos outros aviões da Boeing. Por exemplo, a posição 1 no 787 indica que os slats estão estendidos, porém os flaps retraídos.

Os displays de LCD também terão uma câmera montada na empenagem vertical da aeronave, similar à utilizada no Airbus A380. “Isto funciona muito bem porque dá uma noção de tamanho de ponta à ponta. Nós também colocamos câmeras de alta definição no bordo de ataque do estabilizador horizontal apontando para o trem de pouso principal.” complementou Terry. Veja abaixo uma visão 360º da cabine do 777X, que começa a operar em 2020 pela Emirates e com toda certeza dará as caras no Brasil!

Com informações do portal Aviation Week e fotos da Boeing.

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é Piloto Comercial, Despachante, Bacharel em Ciências Aeronáuticas, membro da AOPA e veterano da Western Michigan University #GoBroncos