Boeing vê mercado de US$1,44 trilhão em aviões comerciais no Oriente Médio

Boeing 737 MAX 10 – Imagem: Boeing

A Boeing revelou nesta quarta-feira, 20 de outubro que as companhias aéreas do Oriente Médio vão necessitar de 3.000 novos aviões avaliados em US$ 700 bilhões e serviços pós-venda, como manutenção e reparo, no valor de US$ 740 bilhões, totalizando US$ 1,44 trilhão, com a região posicionada para capitalizar na recuperação da demanda de carga e viagens regionais e internacionais.

A fabricante americana forneceu a estimativa em seu “2021 Commercial Market Outlook (CMO)”, uma previsão de demanda de 20 anos para aviões comerciais e serviços.

O tráfego de passageiros no Oriente Médio e a frota comercial da região devem mais do que dobrar no período de previsão de 20 anos, de acordo com o CMO. Mais de dois terços das entregas de aviões para o Oriente Médio vão acomodar o crescimento, enquanto um terço das entregas vai substituir aviões mais antigos por modelos mais econômicos, como 737 MAX, 787 Dreamliner e 777X.

“O papel da região do Oriente Médio como um centro de conexão global continua a ser importante para o desenvolvimento de mercados de e para o Sudeste Asiático, China e África”, disse Randy Heisey, diretor-gerente de Marketing Comercial da Boeing para o Oriente Médio. “A região tem sido líder na restauração de viagens seguras de passageiros por meio de iniciativas multifacetadas que ajudam na recuperação de viagens internacionais.”

O frete aéreo representa uma área contínua de oportunidade para as companhias aéreas do Oriente Médio, com a frota de cargueiros projetada para quase dobrar de 80 aviões em 2019 para 150 até 2040. Notavelmente, o tráfego de carga aérea transportado por transportadoras do Oriente Médio aumentou desde 2020 em quase 20%, com duas das cinco maiores transportadoras de carga do mundo baseadas na região.

O CMO de 2021 do Oriente Médio também inclui essas projeções até 2040:

– Para acomodar o aumento do tráfego de passageiros e carga, as companhias aéreas devem aumentar suas frotas para 3.530 jatos.

– A região continuará a ter uma demanda robusta de grande porte, com 1.570 entregas que dão suporte a uma rede crescente de rotas internacionais.

– A atual frota de corredor único de 660 aviões está prevista para quase triplicar para 1.750 jatos.

– As oportunidades de serviços comerciais incluem renovação de frota, manutenção, reparo e fornecimento de peças e otimização de operações.

– O Panorama de Pilotos e Técnicos da Boeing para 2021 prevê que a região deve exigir 223.000 novos funcionários da aviação até 2040, incluindo 54.000 pilotos, 51.000 técnicos e 91.000 tripulantes de cabine. 

Informações da Boeing

Leia mais:

Juliano Gianotto
Ativo no Plane Spotting e aficionado pelo mundo aeronáutico, com ênfase em aviação militar, atualmente trabalha no ramo de fotografia profissional.

Veja outras histórias