Bomba: Emirates poderá reduzir 40% de sua frota de A380 e demitir 30 mil

A Emirates Airline, maior operadora global do super-gigante Airbus A380, com 116 unidades do modelo em sua frota atualmente, poderá aposentar definitivamente 46 aeronaves.

Avião Airbus A380 Emirates
Imagem: Emirates

Segundo divulgado pelo portal Paddle Your Own Kanoo, ainda não há um pronunciamento oficial da empresa dos Emirados Árabes, tratando-se de informações obtidas junto a fontes que teriam familiaridade com o assunto. Mais tarde, o assunto foi confirmado pela Reuters.

A empresa que, por conta das restrições de combate ao novo coronavírus, parou todo a sua frota de A380, já havia anunciado em 2019 planos para iniciar a retirada de serviço do superjumbo da Airbus daqui a alguns anos, após o encerramento do projeto pela fabricante europeia.

A Empresa já prevê, para este ano o enorme impacto causado pela pandemia em suas finanças e, por conta disso, continuará a tomar medidas agressivas no corte aos gastos e outros passos necessários para salvaguardar seus negócios, enquanto planeja o retorno dos negócios, declarou o Sheikh Ahmed bin Saeed Al Maktoum, Diretor da Companhia, ao portal The National, dos Emirados.

“A Emirates otimizará seus custos, incluindo a oferta de frota A380 existente”, afirmou ele. O executivo ainda comentou que, espera-se levar cerca 18 meses, antes que a demanda de viagens volte a ter alguma semelhança com a normalidade.

Há também informações de que a Empresa demitirá 30% de sua força de trabalho, nas posições de tripulação de cabine e pilotos de aeronaves, conforme matéria da Reuters.

Cerca de duas semanas atrás, em entrevista ao The National, o Presidente da Emirates, Tim Clark, declarou que: “o A380 acabou”.

Um futuro ainda bastante indefinido e com muitos desafios espera as empresas aéreas do mundo que conseguirem passar por essa devastadora crise.

Comentários estão fechados.