British Airways ameaça demitir todos os seus pilotos

Uma carta do Sindicato de Pilotos da British Airways (BALPA) a todos os seus membros causou furor no Reino Unido. Segundo a mensagem, a empresa aérea ameaça demitir todos os seus pilotos e oferecer novamente os empregos (a quem aceitar) sob novos termos e condições, caso nenhum acordo seja alcançado nos próximos dias.

A British Airways (BA) também avisou que, como resultado de uma revisão de seu plano de frota, 1.255 pilotos deverão ser desligados de maneira permanente. No total, a empresa tem 4.300 comandantes e o anúncio das reduções faz parte do programa que prevê encolher seu tamanho em 30%.

A fúria dos pilotos

Além dos desligamentos, a companhia aérea está propondo outras medidas aos pilotos que ficam, como redução de salários e de jornada, mas ainda não foi possível um acordo. Por sua vez, essa indefinição causa ansiedade dos dois lados.

A empresa alega que precisa resolver essa questão com urgência, a fim de reorganizar suas contas e preparar o retorno aos voos. Por sua vez, o sindicato espera uma proposta melhor por parte da empresa aérea.

Para tentar solucionar, a empresa aérea prometeu medidas duras, como a demissão de todos os seus pilotos e recontratação sob novos termos e condições, menos favoráveis aos profissionais.

Segundo o Independent, essa ameaça da British Airways causou fúria entre os tripulantes, que se sentem desvalorizados e acusam a empresa de não agir de forma honesta para com eles.

Brian Strutton, secretário geral do sindicato, disse estar “horrorizado com a atitude da BA. Isso põe em dúvida se a BA é capaz de conduzir as relações com seus pilotos adequadamente e se qualquer coisa que eles dizem pode ser confiável”.

O que houve até agora

Na tentativa de ajudar a reduzir o número de despedimentos de pilotos, a BALPA vem tentando trabalhar com a companhia aérea. Desde então, todos os pilotos tiraram um mês de licença não remunerada, distribuídos por três meses, em vez de serem colocados no regime de retenção de empregos do governo.

Após as discussões com o sindicato, a British Airways disse que quaisquer pilotos em potencial colocados no Job Retention Scheme (JRS) do governo viriam do Airbus A380, Boeing 747, A320 de Gatwick e de alguma frota do A320 de Heathrow, aeronaves que seriam retiradas da frota por um tempo longo ou em definitivo.

Companhia aérea não decola sem piloto, aguardemos as cenas dos próximos capítulos.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias