British irá acelerar ‘recall’ do Boeing 787 após incidente do ‘pino no buraco errado’

O colapso do trem de pouso do Boeing 787 da British Airways (e o prejuízo causado) poderia ter sido evitado por um recall e agora a empresa aérea corre atrás do tempo perdido.

Foto: AIBB

O relatório inicial da AIBB, órgão britânico responsável pela investigação de incidentes e acidentes aéreos, apontou que uma má instrução e falta de conferência levaram um mecânico a instalar o pino de travamento no buraco errado. Um mecânico de baixa estatura não teria instruído corretamente a um profissional mais alto, bem como não conferiu o seu trabalho, liberando o teste da aeronave numa condição inapropriada.

A Boeing já sabia que isso podia ocorrer novamente, já que um caso igual foi registrado nas suas instalações em 2018. Desde então, a fabricante investigou o caso e viu que existia uma similaridade muito grande entre dois encaixes no trem de pouso, levando a confusão.

Por conta disso, a fabricante emitiu um boletim aos operadores, alertando sobre a possível confusão e como evita-la, com alertas visuais e reforçando as instruções do procedimento mediante treinamento da equipe. Os reforços sobre os procedimento, inclusive, já haviam sido feitos duas vezes pela British através de cartazes e e-mails, sendo o último uma semana antes do incidente, mas não foi suficiente para evitar o ocorrido.

No mesmo boletim, emitido em 2020, a fabricante indica que tal remediação poderia ser implementada pelas empresas aéreas com um prazo de 2023, motivo pelo qual a British não tinha feito ainda. Agora, segundo a Flight Global, a empresa está acelerando o processo, embora não tenha dado um prazo para finalizar o “recall” da Boeing.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

Boeing anuncia duas novas linhas de conversão de aviões 767-300BCF na...

0
A Boeing prevê que 1.720 conversões de cargueiros serão necessárias nos próximos 20 anos. Destes, 520 serão conversões de corpo largo.