Cabeça que ficou 7 meses em Viracopos pode ter sido roubada na Líbia em 1990

Foto: PF

A Polícia Federal (PF) cumpriu hoje (29) mandado de busca e apreensão, com o objetivo de localizar e apreender uma obra de arte adquirida pela internet, suspeita de ter sido roubada de um museu na Líbia, no ano de 1990.

Segundo a PF, trata-se de uma escultura de mármore de uma cabeça humana, representando Eusculápio (Head of Asclepius), deus grego da cura, do período de 400 a.C.

A solicitação de busca da obra de arte foi feita em comunicação da Interpol Tripoli, na Líbia, ao Escritório Central Nacional da Interpol no Brasil. Conforme a Secretaria-Geral da Interpol, a escultura está inserida na base de dados da organização de obras furtadas ou roubadas.

A PF explica ainda que a obra havia sido retida pela Receita Federal no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, São Paulo, permanecendo naquela unidade alfandegária de fevereiro a setembro de 2020, mas foi liberada ao comprador da peça, mediante a apresentação dos documentos de importação, não sendo possível verificar a ilicitude do objeto.

De acordo com a PF, a obra de arte será periciada e, caso confirmada sua autenticidade e procedência, será repatriada à Líbia. O comprador será ouvido para esclarecer se sabia da origem da escultura.

Informações da Agência Brasil

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Líderes da aviação da América Latina se reúnem na Colômbia a...

0
De domingo a terça-feira (24 a 26 de outubro), mais de 350 executivos da indústria da aviação comercial e representantes governamentais