Caça Gripen completa um ano em solo brasileiro e entrada em serviço se aproxima

Há exatamente um ano, chegava ao Aeroporto Internacional de Navegantes, em Santa Catarina, o primeiro caça Gripen, de onde decolaria em seu primeiro voo em solo nacional e o primeiro longe da sua terra natal, a Suécia. Agora, passados 365 dias, sua entrada em serviço está cada vez mais próxima.

No dia 24 de setembro de 2020 presenciamos uma movimentação diferente no Aeroporto Vítor Konder, que normalmente é a porta de entrada de turistas que buscam as belas praias catarinenses e também o Beto Carrero World, mas que, naquele dia, ouviu um barulho diferente.

Esse som vinha dos motores GE F414 do caça Gripen, que chegou de navio ao Porto de Navegantes, convenientemente localizado próximo do Aeroporto, numa distância de uma caminhada.

Após ser preparado num hangar privado, que está acostumado a receber apenas aviões executivos, o caça decolou pela primeira vez, marcando o início de uma das mais importantes etapas do programa FX-2, que visa à renovação da “ponta de lança” da Força Aérea Brasileira (FAB), uma verdadeira “novela” que se arrastava desde 1995.

Burocracia e política à parte, o martelo foi finalmente batido em 2013, com a escolha do Gripen, que tinha previsão de entrega em 2018, mas cujo cronograma acabou atrasando por vários motivos, incluindo também personalizações para o modelo brasileiro, que conta com uma “única” tela como display principal, algo então só presente no americano F-35 Lightning II, da Lockheed Martin.

Com a pandemia, o atraso aumentou, mas o ano de 2020 findou vendo com o Gripen de matrícula FAB-4100 já em solo brasileiro, embora ainda não entregue oficialmente à FAB para uso em missões.

O caça está sendo desenvolvido no país em parceria com a brasileira Embraer, e ainda não entrou em operação nem na Suécia e nem no Brasil, sendo que está em fase de testes e homologação. Nestes últimos 12 meses, o caça fez vários voos de ensaio, e até de demonstração em Brasília e outras localidades, se “adaptando”.

A SAAB e a FAB não revelaram quantas horas o primeiro Gripen já voou no céu brasileiro, mas certamente já ultrapassaram a casa das centenas de hora, e quem está próximo de Gavião Peixoto ouve o caça voar com grande frequência.

Apesar da data de entrega efetiva do primeiro avião para uso da FAB em missões não ter sido revelada, é esperada que ela ocorra ainda no primeiro semestre do ano que vem. Até lá, mais exemplares terão chegado, sendo que todos os 36 caças serão entregues até 2027, dos quais, pelo menos 15 serão montados em Gavião Peixoto a partir de 2023.

Trazendo para mais próximo, até o final desse ano mais dois caças Gripen deverão chegar pelo Porto de Navegantes.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias