Caças de 4 países interceptam Boeing 787 com suspeita de bomba

Um incidente envolvendo um Boeing 787 de uma companhia aérea israelense mobilizou caças de diversas forças aéreas, após ter declarado ao controle de tráfego aéreo sobre uma possível bomba na aeronave.

Foto de Clèment Alloing

O caso aconteceu na sexta-feira, dia 30 de abril, quando um Boeing 787 da El Al estava realizando um voo dos Estados Unidos até Israel. O Boeing, registrado sob a matrícula 4X-EDH, decolou do Aeroporto Internacional John F Kennedy, em Nova Iorque, às 20h11 (UTC), para cumprir um voo regular com duração de quase 10 horas até Tel Aviv, em Israel.

Segundo informações obtidas através do The Aviation Herald, a aeronave já estava sobrevoando a Espanha quando contatou o Controle de Tráfego Aéreo (ATC), alegando que eles suspeitavam que uma bomba havia sido implantada na aeronave. Sendo assim, voando por volta dos 39.000 pés, caças espanhóis foram enviados para acompanhar o voo LY-2 até à Itália, onde aviões de caça italianos assumiram e escoltaram a aeronave até a Grécia.

Já no espaço aéreo grego, quatro caças F-16 da HAF monitoraram a aeronave até chegar ao espaço aéreo do Chipre, onde um caça israelense escoltou o 787 até o Aeroporto Internacional Ben Gurion, em Tel Aviv, realizando um pouso sem intercorrências, quatro horas após o primeiro alerta ao ATC.

Mais tarde, já no aeroporto, uma inspeção verificou que a aeronave não esteve sob nenhuma ameaça de bomba ou sequestradores.

Imagem: RadarBox

Conforme o Greek Reporter comenta, relatos ainda não confirmados dão conta de que aeronaves francesas da OTAN também foram empregadas na escolta logo após a tripulação alertar ao controle sobre sua suspeita.

Ainda não se sabe a gravidade da ameaça ou o que levantou as suspeitas para que os pilotos reportassem a emergência. Também foi curioso o fato de a tripulação não ter realizado um desvio para o aeroporto mais próximo, como seria de praxe nessas ocasiões.

A aeronave da ocorrência está em solo em Tel Aviv até o momento em que essa matéria era escrita. Nem a companhia aérea israelense e nem o órgão de aviação de Israel se pronunciaram até o momento.

Juliano Gianotto
Ativo no Plane Spotting e aficionado pelo mundo aeronáutico, com ênfase em aviação militar, atualmente trabalha no ramo de fotografia profissional.

Veja outras histórias

George Clooney rejeitou US$35 milhões e não quis fazer um comercial...

0
O ator George Clooney disse em entrevista que recusou uma proposta para ser protagonista de um comercial de companhia aérea