Movimentação de cargas cresce 60% no Aeroporto de Cuiabá

O Terminal de Logística de Carga (Teca) do Aeroporto Internacional de Cuiabá-Várzea Grande/Marechal Rondon (MT) encerrou 2018 com alta na movimentação de volumes.

Aeroporto TECA Carga Cuiabá Infraero
TECA do Aeroporto de Cuiabá – Imagem: Infraero

O crescimento registrado foi 60% superior em relação ao ano de 2017. Foram 100,3 toneladas (t) ante as 60,2 t contabilizadas no ano anterior.

O destaque foi o setor de importações, responsável por mais de 90% das cargas processadas, com 98,4 t. Os principais volumes importados no período a partir do Teca cuiabano foram aeronaves agrícolas, equipamentos de pesquisa, peças de aeronaves e industriais. A maior parte desse material foi recebida da América do Norte.

Já as exportações somaram 2 t. Apesar da menor representatividade no total de movimentação de cargas, as exportações mais que duplicaram em relação a 2017, sendo a gelatina produzida no estado o principal produto, que tem como destino a Europa.

>>>Publicidade: baixe seu E-Book gratuito sobre técnicas de importação de produtos dos Estados Unidos!

A Gerente de Negócios em Soluções Logísticas do Aeroporto de Cuiabá, Rivania Freitas, atribui a alta na movimentação a fatores como implantação da agroindústria no Estado, a parceria com o SEBRAE – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas e a aproximação com os importadores e despachantes aduaneiros. 

Localizado estrategicamente na região metropolitana de Cuiabá, o Aeroporto Marechal Rondon é a principal porta de entrada para o Pantanal Mato-grossense e para o Parque Nacional da Chapada dos Guimarães, que abriga as cachoeiras e cascatas mais belas do estado.

O terminal tem capacidade para receber 5,6 milhões de passageiros ao ano, e opera voos das companhias aéreas Avianca, Azul, Gol, Latam e Asta, que ligam a cidade a destinos como Brasília (DF), Goiânia (GO), Rio de janeiro (RJ), São José do Rio Preto (SP), Vilhena (RO), Jí-Parana (RO), Porto Velho (RO), Belém (PA), Rondonópolis, Tangará da Serra, Juína, Juara, Sorriso e Alta Floresta (MT), Guarulhos, Congonhas e Campinas (SP), entre outros.

Informações pela Infraero.

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.