Cargojet aumentará sua frota com sete aviões, incluindo o Boeing 777F

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Avião Boeing 767-200F Cargojet
Imagem: Alasdair McLellan / CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons

A Cargojet, empresa aérea cargueira do Canadá, anuncia nesta semana que celebrou um acordo de aumento de capital, cujo valor levantado será utilizado para aquisição de mais sete aeronaves cargueiras, incluindo o Boeing 777F que não compõe atualmente sua frota.

O acordo foi firmado com um consórcio de empresas e fundos de investimentos que comprará 1.642.000 ações ordinárias da companhia, resultando em um capital adicional de 350.156.500 dólares canadenses, ou cerca de 1,45 bilhão de reais.

Adicionalmente, também concedeu uma opção de distribuição em excesso para compra de até 246.300 ações adicionais, nos mesmos termos e condições, que se for exercida na íntegra levará a um adicional de C$ 52.523.475 em receita bruta, resultando em um total agregado de C$ 402.679.975, ou cerca de 1,67 bilhão de reais.

Com isso, a Cargojet informa que, em linha com as prioridades estratégicas previamente estabelecidas para investir em oportunidades de crescimento e continuar a pagar sua dívida, os recursos líquidos da oferta de ações serão usados ​​para financiar o seguinte:

1- Expansão da capacidade doméstica e das instalações

A pandemia da COVID-19 aumentou a demanda por serviços de carga aérea doméstica da Cargojet devido ao aumento dramático na atividade de comércio eletrônico.

A Empresa pretende usar uma parte dos recursos líquidos da oferta para financiar despesas de capital de crescimento, incluindo a aquisição de cinco aeronaves de carga Boeing 767 para entrega em 2021/2022, bem como investimentos em um novo hangar e instalações adicionais em terra infraestrutura no Canadá.

2- Busca estratégia de crescimento internacional e dos EUA

A pandemia da COVID-19 aumentou significativamente a demanda pelos serviços de carga aérea internacional da Cargojet. A capacidade de carga aérea foi severamente restringida devido à redução de aeronaves de passageiros operando em rotas internacionais e é incerto quando essa capacidade retornará aos níveis pré-pandêmicos.

Além disso, as oportunidades de crescimento da carga aérea nos EUA e internacionais surgiram como resultado da rápida evolução das cadeias de suprimentos globais e da falta de capacidade de carga aérea nos principais mercados.

Assim, a companhia pretende usar uma parte dos recursos líquidos da oferta para capitalizar potenciais investimentos estratégicos nos Estados Unidos e a aquisição de duas aeronaves de carga Boeing 777 de longo alcance para rotas internacionais para entrega em 2023.

3- Reembolso do endividamento

A Companhia planeja usar uma parte dos recursos líquidos da oferta para liquidar arrendamentos financeiros, incluindo pagamentos associados a seis aeronaves com vencimento no ano fiscal de 2021.

A empresa informa ainda que completou o ano experimentando volumes recordes durante a alta temporada, consistente com as expectativas divulgadas anteriormente, e entregou aproximadamente 99% do desempenho dentro do prazo para seus clientes.

Segundo dados do Airfleets, a frota atual da Cargojet é composta por 25 aeronaves Boeing ativas, sendo oito unidades do 757-200F, três unidades do 767-200F e quatorze unidades do 767-300F.

Com informações da Cargojet

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Próximo grande Antonov a vir a Belém já passou por 9...

0
Se o gigante Antonov AN-124 é mundialmente conhecido pela alta capacidade de carga, o mesmo não pode se dizer de seu alcance em voo.