Do recorde ao zero: Qatar Airways não receberá nenhum avião até o fim de 2021

Ontem (17), o CEO da Qatar Airways, Akbar al-Baker, declarou que a aérea não receberá aeronaves novas de nenhuma das fabricantes Boeing e Airbus até o final de 2021. Os planos anteriores previam que a empresa bateria um recorde de recebimentos de aeronaves em 2020.

Avião Airbus A350-1000 Qatar Airways
Imagem: Juke Schweizer [CC]

Al-Baker disse à Reuters, que a decisão da companhia em não receber novas aeronaves neste e no próximo ano é reflexo da crise provocada pela Covid e acrescentou que haveria um efeito indireto em entregas futuras por conta da pandemia. Segundo o executivo, várias entregas serão adiadas.

O CEO comentou que Boeing e Airbus já foram comunicadas da decisão de não receber novas aeronaves até 2022. Ele acrescentou que todas as aeronaves que seriam entregues a companhia, nos próximos dois ou três anos, serão remanejadas para o futuro, daqui a oito ou dez anos.

Vale lembrar que, recentemente, al-Baker, alertou sobre a resistência que a empresa vinha enfrentando das fabricantes Airbus e Boeing quanto ao adiamento de entregas de aeronaves, solicitado por sua companhia.

No início do mês, ele já dizia negociar com as fabricantes para adiar as entregas de aeronaves devido ao impacto da crise. “Estamos negociando com a Boeing e com a Airbus para cumprir nossa necessidade de adiamento e esperamos que ambos os fabricantes aceitem”.

O CEO chegou a declarar que as fabricantes não teriam outra alternativa a seguir e que, se elas dificultassem as negociações, ele cancelaria as encomendas, ainda que fosse na justiça.

Reflexo da pandemia

Em outubro do ano passado, o mesmo al-Baker havia dito que a Qatar estava pronta para receber mais de 40 novas aeronaves este ano, podendo chegar a 50. Naquele momento, segundo o executivo, essa seria a maior quantidade de aeronaves recebidas em um único ano pela empresa em sua história.

O CEO, na época, ao responder à pergunta de um jornalista, declarou que, até aquele momento, a aérea recebia em média de 35-36 aviões por ano, e que em 2020 o planejado era receber até 50 aeronaves. Al-Baker, destacou que a quantidade seria a maior em 12 meses para a Qatar Airways, e achava que qualquer outra companhia aérea no mundo, não teria recebido 40 aeronaves em um único ano.

A Qatar, naquele momento tinha um total de 195 aeronaves encomendadas, divididas quase que igualmente entre a Airbus e a Boeing. Em 2016, a empresa fez um pedido de 50 A320neos, que trocou por A321neos ao valor total de US$ 6,35 bilhões em 2017. No início de 2019, a empresa converteu dez dos A321neos encomendados, para o A321neo LR, a fim de abrir novas rotas longas e adicionar frequências em algumas rotas existentes.

De acordo com dados da Airbus, em 2020 foi entregue para a Qatar somente um A350-1000, no mês de fevereiro. Já os dados da Boeing demonstram que não houve entregas de aeronaves da fabricante de Seattle para a aérea nesse ano.

Pelo jeito al-Baker terá de esperar mais alguns anos para poder quebrar o recorde.

Rodnei Diniz
Engenheiro aeronáutico e mecânico, atuante em gestão de manutenção aeronáutica, aviação geral, executiva e comercial. Atento aos detalhes, gosta de ler e escrever sobre a história da aviação.

Veja outras histórias