CGNA absorve demanda do Centro de Informação Aeronáutica de Brasília

Imagem ilustrativa: DECEA

O Centro de Informação Aeronáutica (C-AIS) do Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA) absorveu integralmente, na segunda-feira (04/10), a demanda do C-AIS Brasília, aumentando consideravelmente sua zona servida, que até o momento contava apenas com 50% do movimento da Sala AIS Automatizada de Confins (SAA CF).

A partir da data, o C-AIS CGNA passou a ser responsável por 100% do movimento do C-AIS BR e da SAA CF. O movimento consiste em mais uma etapa do Plano de Gerenciamento de Projeto (PGP) de reestruturação dos C-AIS, que prevê fases de absorção das zonas servidas pelo CGNA, com a descontinuidade gradativa do número de C-AIS no Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro (SISCEAB).

De acordo com o plano de implementação da Centralização do Plano de Voo (PCA 53-2), a adoção da centralização da gerência das intenções de voo possibilitará redução significativa de erros e perdas e proporcionará a otimização da interferência humana no processo, com a consequente redução da carga de trabalho.

Os pilotos, os despachantes operacionais de voo (DOV), as autoridades e os demais interessados terão, também, a possibilidade de acompanhar o processamento das intenções de voo em todas as suas etapas, garantindo, ao final, que a intenção de voo apresentada corresponda com fidelidade à autorização do órgão ATC.

Para tanto, a Divisão de Plano de Voo do CGNA realizou viagens de intercâmbio operacional para a familiarização dos operadores com a dinâmica do C-AIS BR, além de programar um ciclo de treinamentos ministrados por profissionais AIS daquele C-AIS, com o intuito de capacitar a equipe e padronizar as ações implementadas.

Além dos treinamentos realizados para a absorção do C-AIS BR, a Divisão de Plano de Voo elaborou um plano de treinamento de supervisores de C-AIS, capacitando os profissionais para a gerência do tratamento centralizado de planos de voos.

Segundo o chefe da Divisão de Plano de Voo do CGNA, Capitão Aviador Bruno Machado do Nascimento, a absorção do C-AIS Brasília configura mais um avanço no processo de centralização, rumo ao cenário desejado: uma gestão unificada das intenções de voo no território nacional, com o processamento e análise das mensagens ATS.

“O C-AIS CGNA tem se estruturado, tanto na parte física quanto na de pessoal, com o intuito de estabelecer e otimizar o gerenciamento do fluxo das intenções de voo, garantindo uma informação rastreável, oportuna, confiável e precisa em cada etapa do processo”, destacou o oficial.

Informações do DECEA

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Confirmado que o A321neo entrou em estol no grave incidente de...

0
Os investigadores da agência russa Rosaviatsia apresentaram mais detalhes em seu primeiro informativo de segurança relacionado ao incidente.