Início Variedades Instalada a 1ª Estação do Brasil que lança balões meteorológicos de forma...

Instalada a 1ª Estação do Brasil que lança balões meteorológicos de forma automática

Imagem: Coronel Especialista em Meteorologia Luiz Carlos Teles Batista (SDOP/DECEA)

A Comissão de Implantação do Sistema de Controle do Espaço Aéreo (CISCEA) anuncia hoje que finalizou com sucesso, no dia 23 de abril, a fase de testes de implantação da primeira Estação Meteorológica de Altitude Automática (EMA-A).

Ela foi instalado no Destacamento de Controle de Tráfego Aéreo de Uruguaiana (DTCEA-UG), localizada no Rio Grande do Sul (RS), junto a representantes da empresa HOBECO e do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA).

Foi realizada a substituição da Estação Meteorológica de Altitude convencional (EMA) por um modelo de estação automática (EMA-A), a primeira no Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro (SISCEAB) e da América Latina, que permite a otimização do efetivo de meteorologistas e uma maior disponibilidade de informações para a previsão e vigilância meteorológicas.

As Estações Meteorológicas de Altitude Automatizadas (EMA-A) destinam-se a coletar e processar os dados meteorológicos, especialmente de temperatura, de umidade e de pressão, desde a superfície até níveis superiores da atmosfera, utilizando-se de sinais enviados por radiossonda lançada e acoplada a um balão meteorológico.

Imagem: Coronel Especialista em Meteorologia Luiz Carlos Teles Batista (SDOP/DECEA)

Os valores de direção e de velocidade do vento, nos diversos níveis da atmosfera, são calculados a partir do posicionamento do balão meteorológico em função do tempo e das coordenadas vertical e horizontal.

Esse processo chama-se radiossondagem, que é a principal fonte de dados do ar superior para a previsão de ventos e de temperaturas em altitude, turbulência, formação de gelo em aeronaves, cálculo da probabilidade de trovoadas, formação de nuvens, trilhas de condensação, avaliações do movimento e da dispersão de nuvens de cinzas vulcânicas e de nuvens radioativas, bem como para emprego na área de pesquisa e de modelagem numérica do tempo, constituindo-se a principal fonte de insumos para as previsões meteorológicas.

Os balões são automaticamente lançados duas vezes por dia, e podem atingir alturas de 10.000 metros a 15.000 metros e se deslocar até 300 km do local de lançamento, dependendo da velocidade do vento e direção, ainda com capacidade de ser monitorada pelo Sistema de Processamento em solo.

A EMA-A tem a capacidade de realizar 40 sondagens automáticas (lançamentos de balões) sem a necessidade de reposição de suprimentos por um técnico.

“As EMA automáticas instaladas oferecem uma alta capacidade de sondagem autônoma, podendo ficar até quatro semanas desassistidas. Por meio do sistema de Controle Remoto e Monitoração, os técnicos controlam as sondagens e realizam diagnósticos à distância, resultando na redução dos custos operacionais do sistema”, explicou o Chefe da Divisão Técnica da CISCEA, Tenente-Coronel Engenheiro Gustavo Erivan Bezerra Lima.

Os esforços levados a efeito pelo DECEA sempre atenderam aos requisitos estabelecidos pela Organização da Aviação Civil Internacional (OACI) em cooperação com a Organização Mundial de Meteorologia (OMM). Nesse momento, também ficam evidentes os esforços de racionalização de meios, aumento da eficiência, reestruturação de processos produtivos e melhoria na prestação de serviços.

Imagem: Coronel Especialista em Meteorologia Luiz Carlos Teles Batista (SDOP/DECEA)

A implantação de Estações Meteorológicas de Altitude Automáticas possibilita a manutenção da prestação do Serviço de Meteorologia Aeronáutica, reduzindo a logística e a necessidade de fixação dos recursos humanos em locais remotos, promovendo, assim, a gradual substituição do efetivo presencial por equipamentos e instrumentos com capacidade de prestar o serviço meteorológico de forma automatizada e com alta qualidade.

“As estações de sondagem trazem, de forma pioneira, a funcionalidade de automaticidade no lançamento destes balões e atuarão em locais geograficamente remotos, de difícil acesso e nas condições mais adversas, com o mais alto nível de eficiência operacional e confiabilidade”, afirmou o presidente da CISCEA, Major-Brigadeiro do Ar Sérgio Rodrigues Pereira Bastos Junior.

A próxima EMA-A está em fase de instalação em Fernando de Noronha (PE), e tem previsão de entrar em operação no próximo mês.

Com essa implantação, a CISCEA ratifica sua missão de promover as atividades relacionadas com a implantação e modernização de projetos voltados para o desenvolvimento do SISCEAB com equipamentos no estado da arte, promovendo o mais alto nível de eficiência operacional e confiabilidade, em consonância com a visão do DECEA de ser reconhecido como referência global em segurança, fluidez e eficiência no gerenciamento e controle integrado do espaço aéreo.

Informações da Seção de Comunicação Social da CISCEA
1º Tenente Relações-Públicas Camille Barroso
Fonte: Divisão Técnica da CISCEA

Sair da versão mobile