‘Classe Covid’: empresa aérea pensou em ter área do avião só para vacinados

Voar na Executiva ou Primeira Classe é um privilégio para poucos. E uma empresa aérea já discutiu colocar mais uma classe nesse rol: a Classe dos Vacinados.

Divulgação – Boeing

A mais nova “classe” poderia surgir na United Airlines, pelo que indicou o CEO da empresa, Scott Kirby, em recente entrevista ao Washington Post. Quando perguntando sobre como incentivar as pessoas a serem vacinadas, já que não se pode exigir a vacinação para o embarque, ele disse que a empresa pensa numa “compensação”.

O jornalista David Ignatius perguntou a Kirby se a empresa já pensou sobre ter uma área só para pessoas vacinadas no avião.

O executivo então respondeu que isso “é uma ótima ideia” e que “nós pensamos nisso”, embora afirme que exigir de todos os passageiros domésticos o certificado de vacinação é algo que não teria embasamento legal ou técnico e que, além disso, teriam que fazer de maneira unilateral, num ato que poderia afastar alguns passageiros e deixar a empresa isolada com a medida.

Por outro lado, no âmbito internacional, o CEO vê sim um cenário em que os passageiros serão obrigados a serem vacinados para poder embarcar, a exemplo do que acontece em certos países com outros tipos de vacina, como a da febre amarela, por exemplo. Além disso, ele cita que a Islândia, Grécia e Croácia já exigem um certificado de vacinação contra Covid para ingresso.

Finalizando, ele entende que a obrigatoriedade de vacinação nos voos domésticos nos Estados Unidos terá que ser igual dos internacionais: partindo do governo e não das empresas aéreas.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

Avião Embraer ERJ-145 CommutAir United Express

Jatos Embraer ERJ-145 da CommutAir ganham uma renovação total em seu...

0
A empresa aérea regional americana CommutAir anunciou na segunda-feira (6) o lançamento de um esforço para atualizar e substituir