Clipstanbul: aeroporto recebe apelido maldoso devido à quantidade de incidentes

No ano passado foi inaugurado o novo aeroporto da maior cidade turca. No entanto, as novidades param aí, já que ele continua com os problemas do antigo Atatürk e ganhou um apelido: “Clipstanbul”.

Boeing 777 derubou poste no início do ano
Boeing 777 derubou poste no início do ano

Fundado em 1912 e homenageando o fundador da República da Turquia, o clássico aeroporto de Atatürk já estava mega saturado. Além de congestionamentos, atrasos e falta de espaço, o aeroporto acumulava um grande número de incidentes de solo, ocasiões em que uma aeronave com intenção de decolar ou logo após o pouso se envolve em um incidente com algum tipo de dano material ao avião, mas sem vítimas.

Dentre os motivos para tal, estava a grande quantidade de posições remotas (não conectadas a pontes de embarque, ou “fingers”) e o elevado número de veículos e pessoas transitando pelo pátio do aeroporto.

Só em 2018 foram três incidentes, sendo um com grandes danos, em que um Airbus A330 da Asiana “cortou fora” o estabilizador vertical de um A321 da Turkish Airlines, durante o taxi – relembre no vídeo abaixo.

Para reverter a situação de quase caos, o governo, liderado pelo então primeiro-ministro e hoje presidente Recep Tayyip Erdoğan, decidiu construir o New Istanbul Airport, muito mais afastado da cidade e com muito espaço: cinco mega-píers com capacidade total para até 150 milhões de passageiros ao ano – o maior do mundo em capacidade atualmente.

Mas nem assim…

Inaugurado em 29 de outubro de 2018 como um “soft-open” (com apenas algumas operações restritas), o novo Aeroporto de Istambul já tem um histórico alarmante: em 10 meses de operação já foram quatro incidentes em solo.

Ao manter esta “tradição”, o aeroporto também herdou um apelido dado pelos entusiastas da aviação: Clipstambul. O apelido é originado das palavras Clip (em inglês, tradução “junção”, mas que significa “batidinha”) e Istambul.

Boeing 737 da Turkish saiu da taxiway ontem a tarde
Boeing 737 da Turkish saiu da taxiway em 30 de agosto

Pode parecer exagerado, mas não é. Como ainda estamos em 2019, não temos dados sobre os movimentos do novo aeroporto, mas considerando o volume de tráfego de 2018, quando o antigo Atatürk transportou 68,1 milhões de passageiros, podemos ter um parâmetro.

E a taxa de ocorrências é alta. Os aeroportos mais próximos em número de passageiros são o de Seul e Dallas que, no mesmo ano, receberam 68,3 e 69,1 mi de pax, respectivamente. O sul-coreano teve seu último incidente em solo registrado em 2016, quando um A330 da Asiana bateu na porta de um hangar de manutenção da companhia. Já o aeroporto texano de Dallas-Fort Worth teve a última ocorrência em 2013, com um McDonnell Douglas MD-82 da American Airlines.

Em 22 de maio de 2019, cerca de um mês após a inauguração, aconteceu o primeiro incidente: o Boeing 777-300ER, matrícula TC-LJE da Turkish Airlines, atingiu um poste de metal quando taxiava próximo à torre de controle. A ponta da asa da aeronave acabou danificada.

Poste derrubado pelo 777 TC-LJE
Poste derrubado pelo 777 TC-LJE

Outros dois incidentes aconteceram no fim de agosto, um no dia 30 e outro em 31, ambos envolvendo dois Boeings 737-800 distintos da Turkish Airlines. No dia 30, o 737 de matrícula TC-JHL foi atingido no nariz por uma van enquanto estava parado no “finger”. No dia seguinte, o 737 TC-JHM saiu da pista de táxi após o pouso, ficando preso na terra. As imagens de ambos você confere logo abaixo.

Apesar de a maioria destes incidentes ocorrerem com a Turkish Airlines, não convém associar com a companhia com os fatos, já que é a empresa com mais destinos internacionais no mundo e os problemas só acontecem em Istambul.

Vale citar um de nossos leitores que disse: “muda-se o aeroporto mas não se mudam as pessoas”. Isso vai ao encontro das palavras do editor turco M. Serdar Kuzuloğlu, que estava a bordo do TC-LJE, e tirou a foto do 777 que postamos acima, tendo ironizado a fala do comandante em seu Twitter: “O Comandante Mahmut disse que ‘às vezes acontecem essas coisas na aviação’. Acho que estamos num país super diferenciado”, disse Kuzuloğlu.

Com informações do Aviation Safety Network, Airports Council International e do portal turco Goklerdeyiz.net

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é Piloto Comercial, Despachante, Bacharel em Ciências Aeronáuticas, membro da AOPA e veterano da Western Michigan University #GoBroncos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.