Com dívidas de US$ 4,4 bilhões, Virgin Australia possui 20 interessados em sua aquisição

A Deloitte, empresa responsável pela administração do processo de reestruturação da Virgin Australia, declarou na primeira reunião de acionistas que existem 20 interessados na aquisição da companhia.

Em processo de recuperação, Virgin Austrália pode ter novos controladores pelo final de junho

De acordo com o portal Australian Aviation, espera-se que, em duas semanas, todas as ofertas tenham sido feitas e há confiança de que a venda seja efetivada até o final de junho. Um possível interessado seria o magnata da indústria de mineração Andrew “Twiggy” Forrest. Forrest controla a terceira maior mineradora australiana, a Fortescue Metals.

Na última terça-feira, em uma reunião virtual aberta a 1.300 credores, foram divulgadas previsões otimistas sobre o futuro da Virgin Australia. Oito interessados já assinaram acordos de confidencialidade e possuem acesso aos números da Empresa. Outros 12 estariam negociando acordos semelhantes.

Entre os interessados na aquisição, estariam as empresas BGH Capital, Indigo Partners, Wesfarmers, a americana Oaktree Capital e a canadense Brookfield.

Cresce também a especulação de que grupos se uniriam com a intenção de fazer a aquisição. A australiana BGH Capital teria demonstrado interesse em conversar com o Sr. Andrew Forrest, para saber sobre o potencial envolvimento do magnata, porém, não é esperado que a Companhia necessite de mais capital de suporte, uma vez que já possui em seu consórcio a AustralianSuper, empresa australiana de fundos de pensão.

Vaughan Strawbridge, da Deloitte, declarou: “agora estamos nos movimentando rapidamente para finalizar um plano de negócios para ajudar a guiar os interessados, e na sequência esperamos receber as ofertas iniciais até meados de maio, e ofertas finais em junho.”

Strawbridge acrescentou que está confiante em concretizar a venda em junho, como planejado, e ainda declarou: “permanecemos focados na reestruturação dos negócios, criando uma operação viável para atrair novos proprietários e tirar a Virgin da administração externa o mais breve possível, de forma a manter empregos e a contribuição da Companhia na economia australiana”.

Segundo o The Sidney Morning Herald, a Virgin Australia deve $ 2,28 bilhões a credores e garantidores, $ 1,98 bilhão a detentores de títulos sem garantia, $ 1,88 bilhão a arrendadores de aeronaves e $ 451 milhões em direitos a cerca de 9.000 trabalhadores, ou seja, em torno de $ 6,5 bilhões na moeda australiana, equivalentes a US$ 4,4 bilhões.

A Virgin aderiu voluntariamente ao programa de administração no dia 21 de abril.

Rodnei Diniz
Engenheiro aeronáutico e mecânico, atuante em gestão de manutenção aeronáutica, aviação geral, executiva e comercial. Atento aos detalhes, gosta de ler e escrever sobre a história da aviação.

Veja outras histórias