Com falha, avião da Sete Táxi Aéreo pousa em BH ajudado por pistola de sinalização

Na última quarta-feira, 24 de fevereiro, uma aeronave do modelo Mitsubishi MU2B da empresa SETE Táxi Aéreo, sediada em Goiânia, teve que ser auxiliada por uma pistola de sinalização a fim de conseguir pousar no aeroporto da Pampulha, próximo da região central de Belo Horizonte. O incidente foi registrado no Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA).

Os dados, inseridos no sistema do órgão da FAB que é responsável pela investigação de incidente e acidentes no Brasil, dão conta de que a aeronave de matrícula PT-WYT teve uma falha de comunicação devido a uma pane em seu sistema de rádio, que levou o único piloto a perder o contato antes da aterrissagem em BH.

Foto SETE

Passavam poucos minutos das 5 horas da madrugada e ainda estava escuro quando a equipe do aeroporto teria apontado a luz verde ao avião, por meio de uma pistola de sinalização, a fim de apoiar na orientação do piloto e autorizar o pouso.

A comunicação foi retomada após a aeronave aterrissar e livrar a pista, quando a Torre de Controle da Pampulha foi avisada sobre o problema com o rádio.

Pistola de Sinalização

Em situações de falha de comunicação, a única forma da torre orientar uma aeronave para o pouso é por meio de sinais de luzes. O Regulamento do Tráfego Aéreo do Brasil prevê uma série de possibilidades nessas ocasiões, por exemplo:

– Luz Verde Contínua – Livre Pouso

– Luz Verde Piscante ou Intermitente – Regresse e Pouse

– Vermelho – Continue no Circuito de Tráfego

– Luz Vermelha Piscante ou Intermitente – Aeroporto impraticável

– Luz Pirotécnica – Cancele as ordens anteriores e aguarde nova autorização

– Luz Branca Piscante ou Intermitente – pouse e siga ao estacionamento

O avião envolvido

O Mitsubishi MU2B é o turbo-hélice pressurizado versátil, que pode operar em pistas de grama ou terra. Chega a atingir uma velocidade de 547 km/h e pode voar por até 5 horas com uma carga de 652 quilos. Sua capacidade é para até 8 ocupantes.

Segundo consulta do Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB), o PT-WYT possui todas as licenças válidas. Ele foi fabricado em 1978 sendo, portanto, uma aeronave de 42 anos.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias