Comissária põe passageiros em risco após ajudar namorado a cruzar fronteira

Boeing 717
Boeing 717 da Qantas Link – Imagem: Bahnfrend, CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons

Após ajudar seu namorado a cruzar uma fronteira com restrições à COVID-19, uma comissária de bordo foi multada em US$ 4.135 (cerca de R$ 21.000), por coloca em risco de infecção com a temida variante Delta diversos passageiros em alguns voos. Ela teria pegado o vírus do namorado que estava burlando as leis de entrada em um estado.

O caso ocorreu com uma comissária de bordo australiana de 36 anos, que ajudou seu namorado também comissário. Ele chegou de um voo de Sidney para a cidade de Ballina, no estado de New South Wales, próximo da fronteira com o estado de Queensland.

Ao chegar na cidade, a comissária ajudou seu namorado a cruzar a fronteira para Queensland através do subúrbio de Tugun, seguindo depois para Brisbane, indo contra os bloqueios estabelecidos.

O namorado até poderia adentrar a Queensland, mas o estado só permite tal entrada por via aérea, e mediante uma quarentena obrigatória de 14 dias em um dos hotéis autorizados. Já por via terrestre, raramente a entrada é autorizada.

Após a comissária de bordo ajudar seu namorado que estava infectado, ela foi trabalhar em Queensland, onde realizou seis voos operados pela Qantas Link, companhia aérea regional da Qantas Airways. Dias após, ele apresentou sintomas por conta da infecção com a variante Delta da Covid-19.

Conforme relata o Paddle Your Own Kanoo, cerca de 267 passageiros dos 6 voos, além de todos os tripulantes que estiverem presente nas operações, precisaram ficar isolados por 14 dias após terem tido contato próximo com a comissária infectada.

A Qantas confirmou o caso, mas ressaltou que todos os tripulantes e passageiros são obrigados a usarem máscaras de proteção facial durante o voo. A companhia ainda disse que após o período de 14 dias, nenhuma pessoa foi constatada como infectada.

Além da comissária de bordo ter sofrido a multa, o namorado também foi autuado pelas autoridades, tendo que pagar o valor de US$ 9.648 (cerca de R$49.000), por infringir as leis de controle do vírus, além de desrespeitar profissionais da saúde.

Segundo as autoridades, o namorado da tripulante estava de quarentena em um hotel de Brisbane e, em determinado momento, furou a quarentena saindo de seu quarto, além de agredir verbalmente a equipe de saúde enquanto não usava máscara.

“É alegado que, após avisos, e com pleno conhecimento de seu diagnóstico positivo de cepa COVID-19 Delta, ele continuou a abrir a porta sem usar máscara”, disse o comunicado da polícia local.

Leia mais:

Juliano Gianotto
Ativo no Plane Spotting e aficionado pelo mundo aeronáutico, com ênfase em aviação militar, atualmente trabalha no ramo de fotografia profissional.

Veja outras histórias

Passageiros com voos muito curtos terão que pagar uma nova taxa...

0
O governo belga introduziu uma nova taxa para voos de curta distância, obrigando os viajantes que embarcam para destinos abaixo de 500