Saiba como a Airbus está preparando a produção em massa do novo A321XLR

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

A Airbus forneceu essa semana algumas interessantes informações sobre a preparação da fabricação de seu novo Airbus A321XLR, mostrando a progressão do processo em suas instalações e do treinamento de seu pessoal nas plantas do Reino Unido, Alemanha e França.

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Imagem: Airbus

Gary O’Donnell, chefe do programa A321XLR, falou sobre como os dispositivos demonstradores estão ajudando as equipes nas instalações da Airbus e em suas cadeias de suprimentos a desenvolver uma maturidade precoce para design, produção, treinamento e manutenção:

“Há algum tempo já usamos uma rica mistura de dados digitais 3D, que inclui realidade virtual (VR) e realidade aumentada (AR), para demonstrar o modelo digital 3D. Também estamos usando os primeiros demonstradores físicos, que podem ser maquetes de madeira como as de Hamburgo ou peças impressas em 3D. Mais recentemente, chegamos aos demonstradores de produção em grande escala que vemos cada vez mais hoje – principalmente com foco na França e Hamburgo.”

Imagem: Airbus

Gary O’Donnell ainda comenta sobre o uso desses demonstradores e as três divisões de suas etapas:

Os primeiros demonstradores físicos e os demonstradores virtuais nos permitem validar nossas decisões de design e fechar esses tópicos.

“Depois temos a segunda fase: os demonstradores de padrão de produção em escala real, que apoiam principalmente o treinamento e a maturidade do processo industrial, e ajudam a garantir nossa escalada, conforme avançamos em ritmo. Isso está acontecendo em todas as áreas de montagem – Saint Nazaire, Hamburgo e também em Broughton, como para o novo tanque de água/esgoto, trens de pouso e freios.

“Então, para o terceiro nível, estamos usando demonstradores para equipes de manutenção, reparo e suporte ao cliente, de modo que eles possam criar os documentos para as companhias aéreas, os documentos técnicos e os manuais de reparo.”

Segundo Gary O’Donnell, há uma mistura entre os demonstradores físicos e o sistema de realidade virtual e realidade aumentada usada no processo.

“Há uma mistura aqui de demonstradores físicos com VR e AR para permitir que as equipes realmente testem como podem trocar e consertar peças no sistema de operações – seja em um hangar ou no pátio, de modo que quando estiverem escrevendo os manuais de reparo ou os documentos técnicos, eles possam verificar essas referências virtuais para tornar o processo mais fácil.”

Imagem: Airbus

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

À medida que a fase de montagem de componentes principais (MCA) da primeira aeronave de teste de voo A321XLR se aproxima, o foco nesse momento – em termos de demonstradores – está naturalmente em duas grandes estruturas de fuselagem e demonstradores de sistemas, localizados em Hamburgo, Alemanha, e em Saint Nazaire, França.

Esses dois Modelos Físicos (PMUs – Physical Mock-Ups) são o “Acelerador do Sistema Pré-Industrial” (PISA – Pre-Industrial System Accelerators) para a seção de Fuselagem Central e Traseira (CAF – Center & Aft Fuselage) e para a seção de Fuselagem Dianteira e de Nariz (NFF – Nose & Forward Fuselage).

Martin Schnoor, líder de Fuselagem do A321XLR explica:

“No demonstrador PMU para a seção dianteira, estamos focados no reforço estrutural do XLR devido às diferentes cargas e também na melhoria dos novos sistemas para o conforto da cabine. O PMU nos dá a oportunidade de reunir todas as modificações de fuselagem, sistemas e cabine para confirmar as interfaces industriais.”

Enquanto isso, a PMU em Hamburgo está se concentrando nos principais componentes do XLR, incluindo a integração do tanque traseiro-central (RCT); integração do tanque de água; o sistema estendido de combustível e o sistema hidráulico modificado. Aqui, aproveitamos ao máximo a proximidade da PMU da fuselagem traseira com a Linha de Montagem Final (FAL) para fornecer treinamento aos operadores de produção antes de entrarem na primeira aeronave produzida em série”, diz Schnoor.

Imagem: Airbus

Ele ressalta que esses demonstradores não são apenas um exercício pontual:

“Manteremos esses demonstradores de PMU ‘no palco’ não apenas durante a introdução do XLR, mas também para serem continuamente atualizados a longo prazo, como para futuras modificações e novas versões, bem como para o treinamento de chão de fábrica.”

Hauke ​​Delmas, chefe de Equipagem do XLR, concorda:

“Todos esses demonstradores nos ajudam a observar os sistemas, atividades, fluxos de trabalho e instalações sob condições reais holísticas em um estágio inicial antes do início da produção. Os demonstradores, junto com o treinamento em sala de aula e VR/AR, serão parte integrante do nosso treinamento de funcionários e integração no futuro.

Eles fornecem um espaço protegido para aprendizagem e desenvolvimento posterior. Assim, é possível aprender com os erros nas maquetes sem colocar a produção ou a segurança em risco. Claro, também faz sentido, do ponto de vista do negócio, separar a produção em andamento das mudanças de design, modificações, novas instalações e o treinamento de novos funcionários.”

Com informações da Airbus

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Juliano Gianotto
Ativo no Plane Spotting e aficionado pelo mundo aeronáutico, com ênfase em aviação militar, atualmente trabalha no ramo de fotografia profissional.

Veja outras histórias