Como será o retorno aos céus de uma das maiores aéreas low-cost do mundo

A easyJet anunciou que retomará os voos em 15 de junho. De início, um punhado de serviços será reiniciado nas rotas em que acredita-se haver demanda suficiente para realizar voos lucrativos. Veja que voos são esses.

A programação inicial incluirá principalmente voos domésticos no Reino Unido e na França. Outras rotas serão anunciadas nas próximas semanas, à medida que a demanda dos clientes aumentar e as medidas de bloqueio de fronteiras e circulação em toda a Europa forem relaxadas.

Enquanto isso, a empresa promete refinar seu planejamento de cronograma e expectativas de capacidade para o restante de 2020, o que será confirmado oportunamente. Por hora, a grande maioria dos seus 337 aviões terá que ficar em solo, lamentavelmente.

Além da retomada dos serviços, a easyJet anunciou uma série de novas medidas com objetivo de garantir a saúde e o bem-estar dos clientes e da equipe a bordo. As medidas foram implementadas em consulta com as autoridades da aviação ICAO e EASA, e em consonância com o conselho médico e o governo. Esses incluem:

  • Os clientes, a tripulação e a equipe de terra deverão usar máscaras;
  • Limpeza e desinfecção aprimoradas de aeronaves;
  • Disponibilidade de lenços desinfetantes e álcool em gel para as mãos a bordo;
  • Inicialmente, nenhum serviço de alimentação a bordo.

A empresa diz que também continuará a promover seu aplicativo móvel, que evita cartões de embarque em papel, e trabalhará em estreita colaboração com os aeroportos parceiros para garantir que todas as medidas recomendadas pelas autoridades locais e europeias sejam implementadas.

Johan Lundgren, CEO da easyJet, disse: “Estou realmente satisfeito por voltarmos a voar em meados de junho. Essas são etapas pequenas e cuidadosamente planejadas que estamos tomando para retomar gradualmente as operações. Continuaremos a monitorar de perto a situação em toda a Europa, para que quando houver mais restrições levantadas o cronograma continue a crescer ao longo do tempo”.

Em resumo

Parece que a easyJet abriu mão de sua ideia de voar com distanciamento social a bordo, já que isso não foi mais comentado por nenhum executivo ou sequer mencionado na nota da empresa ao mercado. Tal iniciativa vai ao encontro do que outras empresas ao redor do mundo estão fazendo, inclusive sua rival Ryanair, e em alinhamento com o recomendado pela IATA.

Em paralelo, o que se sabe é que os aeroportos do Reino Unido implementarão medidas para garantir que as pessoas permaneçam a distâncias seguras umas das outras, mas a bordo a única obrigação serão mesmo as máscaras.

Carlos Roman
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Belas imagens do treinamento dos Esquadrões Pelicano e Para-Sar da FAB

0
O Segundo Esquadrão do Décimo Grupo de Aviação (2°/10° GAV) - Esquadrão Pelicano e o Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento (PARA-SAR)