Companhia aérea do governo Nicolás Maduro reativa seus voos para Buenos Aires

Segundo o Clarín, com o retorno de Kirchner ao governo argentino, a Conviasa, companhia aérea do regime de Nicolás Maduro, reativará a rota Caracas-Buenos Aires depois de dois anos sem operá-la.

Buenos Aires

Ramón Velásquez, presidente da empresa aérea, anunciou na sexta-feira que a partir de 6 de fevereiro eles retomarão os voos entre as duas capitais. Velásquez ilustrou seu anúncio com um vídeo no qual o Aconcágua e o Glaciar Perito Moreno podem ser vistos, entre outras paisagens típicas da Argentina.

“Em 6 de fevereiro, cruzamos novos céus. Abrindo as possibilidades de conexão entre a Venezuela e América do Sul”, afirmou a empresa através do Twitter.

A Conviasa parou de voar para a Argentina em maio de 2017, em meio a tensões entre o regime de Maduro e a administração de Mauricio Macri e, também em um momento de  crise operacional, desencadeado por sérios problemas econômicos e a falta de aeronaves adequadas para cobrir a rota.

Em seus últimos momentos de operação na Argentina, a empresa operava principalmente através de aeronaves de terceiros, como um Boeing 747 alugado da empresa espanhola Wamos. A cessação abrupta desse acordo acelerou o fim dos voos para Buenos Aires. Em julho de 2017 foi a vez da Aerolineas Argentinas suspender definitivamente os voos para a capital venezuelana.

Desde então, a única empresa que faz o percurso é a Estelar Latinoamericana, uma companhia venezuelana fundada em 2009 que duas vezes por semana une os dois países, também com aviões alugados. Essa operação levou à Argentina, há alguns meses, o gigante Airbus A380, a maior aeronave comercial de passageiros do mundo.

Airbus A340-200 para Buenos Aires e mais

A aeronave a ser utilizada na retomada dos voos será um antigo Airbus A340-200 de 27 anos, cuja incorporação à frota da Conviasa foi realizada no início de dezembro, segundo o Clarín.

No entanto, não há registro nos rastreadores de voos de que o avião retornou de Teerã, no Irã, onde estava armazenado desde julho desse ano. Também não há informação de que outro A340 possa ter sido arrendado.

Atualmente, os voos internacionais da empresa estatal venezuelana foram limitados a Santo Domingo, Havana, Santa Cruz da Serra e Manágua. Com o “novo” equipamento, também estão previstas rotas para a China, Itália, Portugal, Argélia e Rússia.

Carlos Ferreira

É profissional de marketing e pesquisador de temas relacionados à aviação há quase duas décadas. Leva a câmera fotográfica para onde vai e faz mais fotos de aviões do que dos passeios. Responsável pela linha editorial da revista eletrônica AEROIN.net.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.