Companhia aérea é suspensa por deficiência na manutenção dos aviões

ATR 42-500
ATR 42-500 da Air Antilles Express – Imagem: Maxime, CC BY-SA 2.0, via Wikimedia Commons

Desde 27 de agosto, a empresa franco-caribenha Air Antilles Express suspendeu todos os voos com suas aeronaves por decisão da Autoridade de Aviação Civil Francesa (DGAC), interrompendo as operações na região do Caribe francês.

Conforme relata nosso parceiro Aviacionline, a DGAC retirou o certificado de operador aéreo da transportadora após constatar deficiências no processo de manutenção de suas onze aeronaves, que incluem sete ATRs e quatro Twin Otters. 

O relatório foi levado ao conhecimento dos proprietários da Air Antilles Express e do acionista majoritário, Compagnie Aérienne Inter Régionale Express (CAIRE), de propriedade de Eric Koury.

“Durante o acompanhamento da sua organização desde o início de 2021, observamos 8 não conformidades importantes, relativas às frotas ATR e Twin, que mostram que o seu sistema de gestão não permite controlar o cumprimento dos procedimentos necessários para garantir a aeronavegabilidade dessas frotas de aeronaves e adequação dos procedimentos”, detalhou a DGAC em relatório enviado às Air Antilles.

A empresa tem sede em Guadalupe e Martinica, e a decisão da DGAC afetou fortemente essas comunidades, já que é a única empresa que oferece conectividade na região. Sua rival, a Air Caraïbes, mantém operações apenas nas rotas com maior movimento de passageiros.

A operadora informou que está trabalhando ininterruptamente para revisar seu programa de manutenção e fazer com que seja aprovado pela Autoridade de Aviação Civil Francesa, para poder retornar rapidamente aos céus da região franco-caribenha.

Leia mais:

Juliano Gianotto
Ativo no Plane Spotting e aficionado pelo mundo aeronáutico, com ênfase em aviação militar, atualmente trabalha no ramo de fotografia profissional.

Veja outras histórias