Companhias associadas à Oneworld assumem compromisso de carbono zero

Avião Boeing 747 British Airways
British Airways já tem iniciativas próprias de redução de poluentes

A aliança internacional Oneworld, que reúne 13 das maiores companhias aéreas do mundo, divulgou o compromisso de zerar as emissões liquidas de carbono até 2050, em aceno às metas globais de sustentabilidade. O grupo reúne empresas responsáveis por grande parte do tráfego aéreo mundial, como American Airlines, British Airways, Qantas e Qatar.

Segundo informe divulgado à imprensa em 11 de setembro, as 13 empresas aéreas da aliança planejam atingir essa meta como parte dos compromissos assumidos pelos governos nacionais para redução de emissão de poluentes e atende aos preceito do Programa CORSIA (Carbon Offsetting and Reduction Scheme for International Aviation), da Organização da Aviação Civil Internacional (OACI). A LATAM deixou a Oneworld em maio deste ano.

O CORSIA é uma iniciativa da OACI para a redução e compensação de emissões de carbono provenientes dos voos internacionais, sem que o setor aéreo pare de crescer. A medida tem como referência os índices de poluentes emitidos em 2020, que precisam estar estabilizados nas próximas décadas. Cada companhia desenvolverá um processo próprio para atingir o objetivo. Entre as medidas possíveis estão o investimento em combustíveis mais sustentáveis, aumento da eficiência dos voos por meio de rotas e aeronaves mais econômicas, redução do uso de plástico e medidas compensação.

Políticas de sustentabilidade já fazem parte da estratégia de negócio de várias empresas no mundo. A British Airways faz parte de uma iniciativa para transformar lixo doméstico e comercial em combustível renovável para aviação. A American Airlines implantou um amplo processo de renovação da frota para mais de 500 aeronaves novas e mais econômicas, além de buscar um combustível de aviação mais sustentável. Dentro da Oneworld, também a Ibéria, Japan Airlines e Quantas já tinham estabelecido metas próprias para reduzir as emissões nos próximos 30 anos. A finlandesa Finnair pretende atingir a neutralidade de carbono até 2045.

CEO da oneworld

O presidente da Oneworld e CEO do Qantas Group, Alan Joyce, disse que o compromisso das companhias aéreas membro da grupo de alcançar emissões líquidas zero até 2050 destaca a importância do setor se tornar uma indústria mais sustentável. “Apesar dos desafios que todos enfrentamos em meio à pandemia COVID-19, não podemos perder de vista a nossa responsabilidade em reduzir as emissões em longo prazo”, disse o executivo.

A Oneworld montou um grupo de trabalho para garantir que os membros trabalhem de forma colaborativa em um roteiro para atingir a meta, compartilhando informações de melhores práticas e aprendizados importantes ao longo das próximas décadas. O gerente executivo de Sustentabilidade e Planeta da Qantas, David Young, está co-presidindo este grupo ao lado do chefe do departamento de sustentabilidade do IAG (controladora British e Ibéria), Jonathan Counsell.

O Brasil está entre os países do CORSIA e iniciou o processo de monitoramento das emissões internacionais de CO2 dos seus operadores aéreos em janeiro de 2019. A ANAC é o órgão responsável no Brasil pela implementação do CORSIA no país. Por aqui, as emissões internacionais de das companhias brasileiras que estejam acima dos níveis observados na média do biênio de 2019-2020, deverão ser compensadas com a aquisição de créditos de carbono a partir do ano de 2027. Até lá, a operadoras nacionais devem monitorar e reportar as emissões dos poluentes.

Fabio Farias
Jornalista e curioso por natureza. Passou um terço da vida entre aeroportos e aviões. Segue a aviação e é seguido por ela.

Veja outras histórias