Companhias brasileiras têm interesse em voar às Malvinas após liberação de rota

O Ministério das Relações Exteriores da Argentina disse na quinta-feira (01/03) que várias companhias aéreas do Brasil, Chile e Uruguai manifestaram interesse em fazer propostas para vôos regulares para as Ilhas Falkland / Malvinas com paradas no território argentino.




O breve comunicado afirma que, no “final do prazo (final de fevereiro de 2018) estabelecido pelos governos da Argentina e do Reino Unido, várias companhias aéreas do Brasil, Chile e Uruguai manifestaram seu interesse em apresentar propostas firmes para novos voos programados para as Ilhas Malvinas com ligações periódicas em território continental argentino. Estas propostas serão avaliadas pelas autoridades aeronáuticas competentes, em relação à sua viabilidade e conveniência, e as autorizações correspondentes serão devidamente premiadas”.

Em 16 de fevereiro, as Ilhas Falkland lançaram um anúncio com o título “Progresso feito para o estabelecimento de um segundo link comercial das Ilhas Falkland”, indicando que “as embaixadas do Reino Unido no Brasil, no Chile, no Paraguai e no Uruguai receberam uma carta emitida em conjunto pelos governos do Reino Unido e da Argentina, solicitando assistência em contactar as companhias aéreas nos respectivos países, convidando-as a comunicar seu interesse em estabelecer um novo serviço aéreo semanal regular de e para as Ilhas Falkland”.

“Uma vez que essas respostas sejam recebidas no final de fevereiro, será iniciado um processo comercial que será liderado pelas Ilhas Falkland. Isso será gerenciado em etapas para avaliar propostas viáveis ​​de companhias aéreas interessadas e empreender negociações, com o objetivo de garantir um voo adicional por semana, incluindo uma parada mensal na Argentina, uma vez em cada direção, antes do final de 2018. Isso complementará a voo LATAM semanal existente de e para o Chile “.

 
Com informações do MercoPress.
 

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias