Concorrente do Embraer E2, primeiro A220 da Air France ganha o céu

Na quinta-feira, 26 de agosto, o primeiro Airbus A220 com as cores da Air France fez seu voo inaugural. Este voo de teste, conhecido como voo de produção, é a parte final da fase de montagem e representa um marco importante antes do processo de entrega do jato.

A aeronave decolou ontem de sua unidade de produção localizada no aeroporto de Mirabel, no Canadá, retornando ao pouso algumas horas depois, com equipe da Airbus presente a bordo para realizar diversos testes durante o voo.

O voo de produção é realizado para garantir a conformidade da aeronave e o bom funcionamento de todos os sistemas em voo. Esta fase foi agora validada para o primeiro dos 60 Airbus A220-300 encomendados pela empresa para substituir seus Airbus A318 e A319 nas redes de curto e médio curso. O modelo compete diretamente com os brasileiros E-Jets E2 fabricados pela Embraer.

Embora sua entrada oficial na frota da Air France não esteja programada até o final de setembro, o Airbus A220 ainda voará novamente para validar outra fase importante no processo de entrega, ou seja, o voo de aceitação do cliente. Neste caso, a equipe da Airbus, desta vez acompanhada pela equipe da Air France, verificarão a conformidade da aeronave com as especificações definidas pela companhia aérea.

Após a aceitação, uma nova fase será iniciada, marcando o início dos voos de treinamento em condições reais antes dos primeiros voos comerciais.

Com capacidade para 148 assentos e alcance operacional de 2.300 milhas náuticas (4.260 km), o A220-300 é adequado para a rede de curta e média distância da Air France. Sua entrada na frota tem por objetivo melhorar a experiência do cliente com assentos mais largos, bagageiros de grande capacidade, corredores mais amplos e Wi-Fi durante o voo.

O Airbus A220 consome 20% menos combustível do que as aeronaves que substituirá e tem uma emissão de ruído 34% reduzida em comparação com estas aeronaves de geração mais antiga. Com isso, desempenhará, segundo a Air France, um papel decisivo na consecução de seus objetivos que incluem uma redução de 50% nas emissões de CO2 em termos absolutos na rede doméstica do aeroporto de Paris-Orly e nas rotas inter-regionais até 2024, e uma redução de 50% nas emissões de CO2 por passageiro/km até 2030.

Informações da Air France

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias