Condor e Thomas Cook Airlines podem ser vendidas para a Lufthansa

O gigante britânico do turismo, o grupo Thomas Cook, está vendendo suas companhias aéreas, incluindo a alemã Condor Airlines.

“Ontem falamos com diversos bancos de investimento que estão comprometidos em apoiar esse processo” disse o CEO da Thomas Cook Airlines, Cristoph Debus, que complementou afirmando que “É uma decisão estratégica para o grupo, que quer focar em hotéis, digitalizar seus meios de distribuição e reduzir o débito.”

Cristoph espera que o processo de venda dure diversos meses, mas o grupo não está com pressa para efetuar a venda. Ainda não está decidido se as companhias do grupo que hoje contam com 103 aviões serão vendidas juntas ou separadas.

Além da própria Thomas Cook Airlines no Reino Unido, o grupo possui ainda as subsidiárias Condor na Alemanha, Thomas Cook Airline Balearics na Espanha e Thomas Cook Scandinavia na Dinamarca.

O CEO ainda afirmou que nada irá mudar para os funcionários e para seus clientes, e que a decisão não tem nada a ver com o Brexit.

Lufthansa

Atualmente dos 9 mil empregados das aéreas da Thomas Cook, 4 mil estão na alemã Condor. E aí que surge o interesse da Lufthansa, que é a maior companhia aérea da Alemanha e tem como principal concorrente no país a Condor.

Os rumores de compra por parte da Lufthansa já duram alguns anos, mas agora pode ser tornar realidade. Para Harry Hohmeister, membro do conselho da Lufthansa, a intenção de venda das aéreas da Thomas Cook atraiu a atenção da empresa: “Nós provamos que com a Eurowings podemos desenvolver bem nesse segmento (de viagem de turismo), então vamos olhar de perto em quais decisões nós podemos tomar”.

“Simplesmente existem muitas companhias aéreas na Europa que não conseguem competir em uma disputa acirrada, as falências dos últimos tempos tem provado isso claramente” declarou Harry em alusão a falência da Air Berlin e mais recentemente da Germania.

O problema pode ser a Comissão Europeia, que dentre as suas funções está o trabalho para proteger a concorrência do mercado, de maneira similar que o CADE faz no Brasil.

Durante a compra do que restou da Air Berlin, a comissão foi cautelosa na hora de permitir a aquisição pela Lufthansa, e trouxe também para a mesa alguns investidores como a EasyJet e o ex-piloto de Fórmula 1 Niki Lauda, que adquiriu algumas aeronaves ex-Air Berlin para fundar a Lauda Motion, que hoje está nas mãos da irlandesa Ryanair.

Ao mesmo tempo a Lufthansa não descarta a ideia recente de adquirir a Alitalia, que está em problemas financeiros já a bom tempo. Para Harry, a Itália já possui muitas companhias de baixo custo, entrar no mercado mais “premium” seria a maneira da empresa de diferenciar e se recuperar.

Com informações do Aero.de

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é Piloto Comercial, Despachante, Bacharel em Ciências Aeronáuticas, membro da AOPA e veterano da Western Michigan University #GoBroncos