Conheça as recomendações da Airbus para os aviões voltarem ao céu com segurança

Imagem: Airbus

Durante seu evento “Airbus Services Update” desta última quinta-feira, 14 de outubro, a fabricante europeia de aviões Airbus apresentou diversas atualizações interessantes sobre seu segmento de Serviços, entre elas destacando-se: a adoção pela LATAM, como vimos previamente no AEROIN, de uma solução de economia de combustível em toda sua frota da família A320; e o pacote de recomendações para que as companhias aéreas garantam a segurança do retorno ao serviço para os aviões que permanecem estocados por meses devido à pandemia.

Como a interessante novidade da LATAM já foi por nós previamente abordada (clique aqui caso queira rever), nesta matéria veremos as recomendações apresentadas pela fabricante a seus clientes de jatos comerciais.

A Airbus lista um total de 16 pontos a serem observados pelas equipes técnicas das companhias aéreas durante a estocagem e no momento do preparo para a reativação. Chamados de “recomendações e serviços para um Retorno ao Serviço seguro”, eles abordam desde o exterior da aeronave até o interior e também o treinamento de pilotos.

Acompanhe a seguir cada aspecto:

– Manutenção da cauda: inspeção visual, lubrificações e teste funcional;

– Manutenção de sistemas hidráulicos: verificação do nível dos fluidos hidráulicos e cheque de pressão;

– Manutenção de portas: lubrificação e teste funcional;

– Sistemas anti-gelo: cheque operacional;

Imagem: Airbus

– Flaps, Slats, Ailerons e Spoilers: lubrificação recorrente, inspeção visual periódica e cheque operacional;

– Sanitização da cabine: reforço de procedimentos de sanitização/higienização;

– Janelas: cheque operacional das pestanas;

– Manutenção dos motores: acionamentos recorrentes em solo, troca de óleo e cheque dos sistemas eletrônicos;

– Manutenção dos tanques das asas: testes de contaminação do combustível e cheques periódicos de vazamentos;

– Manutenção do trem de pouso: cheque das rodas e da pressão dos amortecedores, cheque dos rolamentos das rodas, cheque dos freios, movimentação periódica da aeronave em solo e cheque de abertura do trem de pouso por gravidade com a aeronave sobre macacos hidráulicos;

– Manutenção das galleys (“cozinhas” da aeronave): procedimentos de desinfecção e limpeza, e cheque funcional;

– “Relançamento de pilotos”: cumprimento do programa de treinamento;

Imagem: Airbus

– Manutenção de sistemas de navegação e sensores: atualização dos bancos de dados;

– Cockpit: testes de diagnóstico eletrônico e solução de mensagens de erros;

– Manutenção de sistemas elétricos: substituição de baterias e cheques operacionais;

– Sistema de Air Data (que mede altitude e velocidade da aeronave): limpeza e cheque operacional.

Com todas estas recomendações, além dos demais procedimentos especificados nos manuais de manutenção de cada modelo de aeronave, os passageiros podem ter a tranquilidade de que experimentarão um voo tranquilo e seguro mesmo quando embarcando em um equipamento que está voltando ao céu após a pior crise da história do transporte aéreo de passageiros.

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Força Aérea mostra, em vídeo, os bastidores do exercício de guerra...

0
Uma infraestrutura de alto padrão com tecnologia de ponta foi montada no Exercício Conjunto Tínia 2021, que aconteceu de 8 a 26 de novembro.