Início Empresas Aéreas Conheça o veículo elétrico que a GOL Linhas Aéreas quer usar no...

Conheça o veículo elétrico que a GOL Linhas Aéreas quer usar no Brasil

VA-X4 – Imagem: Vertical Aerospace

Pouco mais de um mês atrás, a Azul Linhas Aéreas surpreendeu o mercado aéreo brasileiro ao anunciar uma parceria para até 220 veículos aéreos elétricos alemães Lilium Jet de pouso e decolagem verticais (eVTOL), com perspectiva de início de operações em 2025.

Hoje, como acompanhamos mais cedo, a Gol Linhas Aéreas mostrou que segue o mesmo caminho na tendência global da mobilidade aérea urbana com responsabilidade ambiental, ao também fazer um surpreendente anúncio de que pretende ter 250 eVTOLs entrando em serviço a partir de 2025.

A escolha da companhia laranja foi pelo projeto desenvolvido pela britânica Vertical Aerospace que você conhece melhor a seguir nesta matéria.

A empresa com sede em Bristol, na Inglaterra, revelou em agosto do ano passado seus planos para o ‘táxi voador’ VA-X4. Capaz de transportar até cinco pessoas (quatro passageiros e um piloto), foi definido com o objetivo de ser a primeira aeronave alada de decolagem e pouso verticais totalmente elétrica certificada, buscando iniciar voos comerciais em 2024.

O VA-X4 terá alcance de 160 km (100 milhas) e velocidade máxima de 320 km/h (200 mph), o que significa que os passageiros podem viajar, por exemplo, de São Bernardo do Campo (SP) a Guarulhos (SP) ou de Belo Horizonte a Confins (MG) em cerca de 6 minutos, de São Paulo a Campinas (SP) em 15 minutos, ou do Rio de Janeiro para Angra dos Reis (RJ) em 22 minutos.

Segundo a Vertical Aerospace, a aeronave será certificada com os mesmos padrões de segurança das companhias aéreas comerciais, porém, sua tecnologia eVTOL garante que será totalmente livre de emissões.

O objetivo final da Vertical Aerospace é tornar o VA-X4 significativamente mais barato do que voos de helicóptero, removendo uma das principais barreiras para viagens aéreas ecologicamente corretas. Os preços dos serviços deste táxi voador são inicialmente esperados entre um voo de helicóptero e um carro particular, e diminuirão à medida que seu uso crescer.

Empresas de classe mundial participam da iniciativa. Isso inclui, por exemplo, a Honeywell, que fornece controles de voo e leis de controle, bem como a Rolls-Royce para o sistema elétrico de propulsão.

Vantagens adicionais incluirão:

– redução da poluição sonora – 100x mais silencioso do que um helicóptero, graças ao sistema de propulsão distribuída;

– uma envergadura de 15 metros e um comprimento de 13 metros, garantindo que ele possa decolar e pousar de helipontos existentes;

– sistemas de controle de voo “fly-by-wire” (comandos por fios elétricos ao invés de cabos de aço) para tornar a aeronave mais simples de voar;

– design simples otimizando a segurança e aerodinâmica eficiente, permitindo-lhe voar com muito menos energia e potência do que um helicóptero;

– capacidade de carga útil de 450 kg;

– design certificado pela EASA; e

– alimentação por baterias de íons de lítio.

Desde sua criação em 2016, a Vertical Aerospace se estabeleceu rapidamente no setor de tecnologia eVTOL e, até o anúncio do modelo no ano passado, era uma das apenas sete empresas no mundo a voar com sucesso vários protótipos eVTOL em escala real, realizando dois testes com a aprovação da Autoridade de Aviação Civil do Reino Unido.

É também a primeira empresa a introduzir a tecnologia da Fórmula 1 em aeronaves eVTOL. A combinação do ritmo e agilidade da F1 com o rigor e disciplina aeroespacial é central para a visão da empresa, com a Vertical Aerospace estabelecendo base em Bristol, um dos três maiores centros aeroespaciais do mundo, e no cluster de F1 em Oxfordshire.

“A tecnologia eVTOL revolucionará as viagens, combinando a segurança das companhias aéreas comerciais com os benefícios ambientais e de custo disruptivos da eletrificação do voo”, disse Michael Cervenka, CEO da Vertical Aerospace.

“Com o VA-X4, estamos orgulhosos de levar o eVTOL um passo mais perto da adoção do mercado de massa e apoiar a próxima era da aviação. Na Vertical Aerospace, acreditamos que as pessoas devem ser capazes de ir de A para B de maneira rápida e econômica, sem sacrificar o planeta. Com o VA-X4, essa visão começará a ser concretizada em menos de cinco anos”, completou o CEO.

Cerca de um mês atrás, a fabricante completou os testes de túnel de vento. O modelo dentro do túnel permanece estacionário enquanto o rápido fluxo de ar simula a aeronave se movendo no ar em alta velocidade. Existem sensores e instrumentos dentro do túnel e do modelo que fornecem aos engenheiros dados concretos e janelas para observar os experimentos visualmente.

Imagem: Vertical Aerospace

“O teste nos permite colocar a aeronave em vários ângulos de ataque e condições de voo. Também podemos alterar a configuração da aeronave rapidamente; adicionar ou remover o trem de pouso, defletir uma superfície de controle, etc, para simular muitas condições diferentes”, descreve a Vertical Aerospace.

Os testes permitem gerar muitos dados rapidamente, milhares de pontos de dados por dia. Esses grandes conjuntos de dados são exigidos pelas equipes de dinâmica de voo e desempenho e controle de voo, permitindo a validação de suas simulações de computador, a avaliação da estabilidade aerodinâmica estática do veículo e do desempenho aerodinâmico, e o controle da potência de movimentação das superfícies de controle.

A intenção de encomenda de 250 unidades da Gol Linhas Aéreas foi feita junto à Avolon, uma empresa de leasing que reservou 500 exemplares do VA-X4. American Airlines e Virgin Atlantic também anunciaram acordos para outros 500, o que totaliza ao menos 1.000 eVTOLs da Vertical Aerospace já com potencial de venda.