Início Acidentes e Incidentes Controladora adverte avião militar dos EUA que voava muito perto de um...

Controladora adverte avião militar dos EUA que voava muito perto de um Boeing 777; ouça

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

As atividades militares sobre o Mar da China vêm acontecendo em grande escala há anos e milhares de matérias a respeito do assunto reportam todo o tipo de situação, incluindo a presença de aviões espiões, conflitos de tráfego aéreo, jatos militares emulando aviões comerciais, enfim, há de tudo. Não obstante, em 13 de janeiro, um incidente grave envolveu um jato comercial e um avião-tanque americano.

O evento de close call foi registrado no dia 13 de janeiro, quando um KC-135 Stratotanker da United States Air Force (USAF) esteve perigosamente perto de um Boeing 777-300ER da empresa taiwanesa Eva Air.

O incidente foi relatado pela primeira vez pelo site italiano de notícias de aviação Avio Blog através de uma análise de dados do ADS-B das aeronaves (vide abaixo). De acordo com as análises, o voo EVA-225, que fazia a densa rota ligando Taiwan a Cingapura, voava a 36.000 pés (~12 mil metros) no momento em que cruzou com o KC-135, que estava a 35.750 pés, usando o callsign “PEARL50”.

O áudio do controle de tráfego aéreo foi publicado pelo Sputnik (ouça abaixo, em inglês). Na gravação, a controladora pode ser ouvida dizendo à aeronave, até então não-identificada, que estava interferindo no tráfego aéreo e que precisava se identificar.

Na gravação, é possível ouvir apenas a controladora, mas não a resposta dos pilotos. A controladora diz à aeronave não-identificada que ela está “interferindo na FIR Taipei”, e que o “voo a FL355 estava causando conflito com uma aeronave comercial”. Em seguida, ela avisa do EVA-255 sobre o tráfego desconhecido.

Embora não dê para ouvir a resposta, nota-se o avião americano descendo em seguida.

60 metros

A diferença de 250 pés entre as aeronaves, registrada acima, significa que o jato americano chegou a ficar a pouco mais de 60 metros de distância do avião comercial. As regras internacionais da aviação civil requerem que aeronaves voando acima de 29.000 pés mantenham uma separação vertical de 2.000 pés verticalmente, por segurança.

Uma colisão no ar poderia causar uma tragédia de largas proporções. Embora a quantidade de passageiros no voo EVA-255 não seja conhecida, o avião tem capacidade para até 396 passageiros. Um KC-135 é cargueiro e, geralmente, voa com um mínimo de tripulantes para a pilotagem e para comandar o sistema de reabastecimento, sendo capaz de transportar até 90 mil quilos de combustível.

Efervescência

Segundo essa matéria da Forbes, aviões-tanques dos EUA voam regularmente por sobre o Mar da China Meridional, que fica ao sul de Taiwan. Lá, eles fornecem suporte para aviões espiões que fazem patrulhas diárias. 

No início de 13 de janeiro, dia do incidente, o mesmo KC-135 “PEARL50” foi flagrado voando junto a outra aeronave, supostamente espiã, do modelo RC-135 Rivet Joint, conforme compartilhado no perfil @is_keelu do Twitter (vide abaixo).

Tal incidente mostra como a situação está efervescente naquela região, ao passo que voos comerciais não estão totalmente ilesos de serem envolvidos em graves incidentes como esse.

Sair da versão mobile