Controladores de voo fazem intercâmbio voando no cockpit

O Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) retomou na semana passada a execução de um acordo de grande relevância para o controle aéreo: o voo de familiarização no cockpit de aeronaves para controladores de tráfego aéreo.

Controlador da FAB e Comandante da GOL no cockpit
Controlador da FAB e Comandante da GOL no cockpit

Na ocasião, dois controladores de tráfego aéreo da organização tiveram a oportunidade de voar no jumpseat os trechos de ida e volta entre Rio de Janeiro e São Paulo.

O Acordo de Cooperação Operacional está previsto na Circular Normativa de Controle do Espaço Aéreo – CIRCEA 100-80 e tem por objetivo proporcionar o intercâmbio operacional entre controladores e pilotos, por meio do contato direto, da ampliação do conhecimento da performance operacional das aeronaves e dos serviços de tráfego aéreo prestados em todas as fases de um voo. 

Essas são as primeiras missões de voo de cabine de 2019. Além de participarem do voo, os sargentos William Luiz Cerqueira da Rosa e Joyce de Oliveira Mendonça Barreto visitaram os órgãos operacionais de destino, conforme previsto na circular do acordo – Controle de Aproximação de São Paulo (APP-SP) e Torre de Controle do Aeroporto de Congonhas (TWR-SP). 

“Essa iniciativa aproxima os controladores de nossos clientes diretos, gera sinergia e entendimento mútuo do sistema, proporcionando melhoria na prestação do serviço e na segurança das operações nas duas principais terminais do país”, afirma o chefe da Divisão de Operações do Serviço Regional de Proteção ao Voo de São Paulo (SRPV-SP) Tenente-Coronel Chrystian Alex Scherk Ciccacio. 

O Voo no Cockpit

Pilotos da GOL e controlador da FAB no cockpit
Pilotos da GOL e controlador da FAB no cockpit

Cada voo é realizado com um controlador no interior da cabine de uma aeronave comercial. As rotas e as etapas de voo são previamente estabelecidas em função do setor de atuação do controlador e, preferencialmente, nos horários de maior movimento. 

Após o retorno, cada controlador entrega um relatório de verificação final. Nele são relatadas informações referentes aos procedimentos executados por controladores e pilotos nas fases de acionamento dos motores, autorização de tráfego, táxi, decolagem, voo em rota, descida e pouso. 

O documento dá espaço ao relato de informações observadas referentes às comunicações com os órgãos de controle (foram estabelecidas e mantidas normalmente?), às instruções/autorizações dos controladores (foram emitidas de maneira clara e correta?), aos procedimentos e publicações aeronáuticas utilizados, à qualidade da fraseologia empregada, entre outras observações. 

Dessa vez, a GOL Linhas Aéreas transportou os dois controladores na cabine, cada qual em uma aeronave, nos dias 21 e 23 de agosto. O comanda nte da GOL, Augusto da Fonseca Viana, pilotou a aeronave do voo de retorno do Sargento William. “É muito importante para cada um conhecer melhor o lado do outro. Para nós é uma oportunidade de demonstrar ao controlador nossa situação na hora de reduzir, na hora de descer, na hora de acelerar o avião, demonstrar em voo os impactos e as relações com a performance da aeronave”. 

Pela Assessoria de Comunicação Social do DECEA

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é Piloto Comercial, Despachante, Bacharel em Ciências Aeronáuticas, membro da AOPA e veterano da Western Michigan University #GoBroncos