Copa Airlines prepara 30 aeronaves para volta aos voos em junho

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Declarações, dadas à mídia internacional por seus colaboradores, dão conta de que a Companhia Aérea panamenha está preparando 30 aeronaves para retomar os voos em junho.

Avião Boeing 737-800 da Copa Airlines
Boeing 737-800 da Copa Airlines.

Segundo o portal MENAFN, funcionários da empresa aérea declararam que 30 aeronaves estão sendo preparadas para retornar às operações a partir do dia 26 desse mês, dentro do que está sendo chamado em praticamente todo o planeta como o “novo normal”.

Em seu portal, a Copa Airlines confirma que espera retomar as operações em junho, assim que receba as autorizações de voos das autoridades dos países da região.

A empresa destaca em seu comunicado que a volta às operações ocorrerá gradualmente, começando com aproximadamente 10% do total de operações existentes antes do impacto provocado pelo novo coronavírus. Esse retorno gradual se deve à demanda muito baixa de passageiros no curto e médio prazo, a um alto nível de cancelamento de reservas e, ainda, porque a maioria dos países da região mantêm restrições de operação ou entrada em seu território.

Em sua página a Copa reforça o compromisso com a segurança de seus passageiros e funcionários, destacando que, ao retomar as operações, seguirá todos os protocolos de saúde, higiene e saneamento exigidos pelas autoridades nacionais e internacionais de saúde.

Preparação para o retorno

A Copa mantém suas aeronaves no chão desde que o governo suspendeu os voos internacionais em 22 de março. Além disso, por ter uma malha aérea totalmente internacional e conectada no hub da Cidade do Panamá, seu retorno aos céus vai depender também de reaberturas de fronteiras na América Latina.

No dia 26 a empresa planeja reiniciar as operações com 30 de suas 102 aeronaves. A data está sujeita às decisões das autoridades panamenhas. Segundo informações oficiais, 98 aeronaves estão estacionadas no Aeroporto Internacional de Tocumen, localizado a 24 km da capital do país, a Cidade de Panamá, enquanto as outras quatro estão espalhadas entre a Colômbia e a Costa Rica.

“Os aviões estacionados passaram por um processo de manutenção contínua desde que pararam de voar e agora estamos nos preparando para o reinício das operações”, declarou o Diretor Sênior de Manutenção, Daniel Cohen.

Antes da crise do novo coronavírus, a Copa operava com uma média de 350 voos diários conectando 80 cidades em 33 países nas Américas e no Caribe.

A Empresa comenta que, inicialmente, as operações “equivalerão a apenas de 10% a 12% da capacidade pré-crise, com a projeção de aumentar progressivamente para 40% até o final de 2020”.

Estudos da indústria indicam que a operação da Copa, juntamente com o turismo, representa 14% do produto interno bruto (PIB) do Panamá.

O AEROIN recentemente informou que a aérea está programando a volta dos voos para vários destinos, incluindo o Brasil. No caso brasileiro, contemplando inicialmente apenas cinco capitais, todos operados com o Boeing 737-800 a partir da Cidade do Panamá.

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Rodnei Diniz
Engenheiro aeronáutico e mecânico, atuante em gestão de manutenção aeronáutica, aviação geral, executiva e comercial. Atento aos detalhes, gosta de ler e escrever sobre a história da aviação.

Veja outras histórias

EmbraerX eVTOL

A EmbraerX e parceira criam conceito de operação para a mobilidade...

0
A EmbraerX, subsidiária para negócios disruptivos da Embraer, e a Airservices, provedora de serviços de navegação aérea civil da Austrália