Copa Airlines tem interesse na nova aeronave NMA da Boeing

Perspectiva artística do Boeing 737 MAX encomendado pela Copa. Imagem: Divulgação / Boeing.

A Copa Airlines está considerando adquirir a nova Aeronave de Mercado Intermediário – New Mid-market Airplane (NMA) – planejada pela Boeing, que poderia fornecer capacidade adicional em suas rotas mais longas, disse o CEO Pedro Heilbron à FlightGlobal. A Copa possui intensa atividade no Brasil, e a aeronave pode se enquadrar nas rotas de maior demanda, como em Guarulhos.




O interesse da companhia panamenha na MNA é significativo, uma vez que a Copa esteve limitada a uma frota de aeronaves menores de corredor único (narrowbody) durante todo esse tempo, com os Boeings 737NG e Embraer 190. No entanto, Heilbron diz que um equipamento mais eficiente em termos econômicos poderia convencer a Copa a mudar sua mentalidade.

“Os widebodies existentes não fazem sentido”, ele disse, “Mas a NMA pode ter sentido para a Copa, se isso nos der mais capacidade e alcance, no que esperamos ser uma aeronave muito mais econômica e mais fácil de operar em comparação com o 787 ou o A330”.

“Se a Boeing puder desenvolver um narrowbody leve que seja tão competitivo em termos de custo como o 737 MAX e semelhante em tempo útil de serviço, isso será de nosso interesse. No momento em que estiverem prontos para o lançamento, vamos ter essa conversa”, ele acrescenta. “Nós poderíamos facilmente ser um cliente para a NMA”.

A Boeing está avaliando um lançamento potencial da NMA e criou um grupo de estudos para apoiar a aeronave conceitual, mas ainda deverá haver uma aprovação de seu conselho para avançar com um lançamento formal.

 
Com informações do FlightGlobal.
 

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduado em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Aeroporto de Uberlândia tem revitalização de pista e pátios concluída

0
Uberlândia já voltou a ter voos regulares de todas as quatro principais empresas aéreas brasileiras, Azul, Gol, Latam e Passaredo, para 5 destinos.