Crise argentina faz mais uma vítima e Norwegian acaba vendida

Após rumores de possível fechamento da empresa, a Norwegian decidiu vender sua subisdiária argentina para a concorrência.

Boeing 737 Norwegian Argentina

Como falamos com exclusividade dias atrás, a Norwegian Argentina poderia ser absorvida pela JetSmart. A empresa de origem noruguesa tinha encerrado as vendas de passagens para datas além do dia 28 de março do ano que vem, mas negava que seria por fim das operações.

Em comunicado ao mercado, a JetSmart falou que vai manter as operações que eram da Norwegian no Aeroparque, que é o aeroporto mais central de Buenos Aires. Também serão mantidos os voos da JetSmart Argentina no El Palomar, mais periférico.

Sobre as aeronaves, a JetSmart afirmou que serão mantidos por agora os Boeings 737-800, mas que futuramente serão subsituídos pelo Airbus A320neo, que é padrão na companhia.

Quem é a JetSmart?

A JetSmart é a subsidiária sulamericana da holding Indigo Partners. Esta holding controla low-costs de sucesso como a Frontier Airlines dos EUA, a Volaris do México e a WizzAir da Hungria.

A sede na América do Sul é no Chile, onde começaram as operações. Porém, recentemente foi aberta a subsidiária argentina. A empresa já voa para Salvador da Bahia e nas próximas semanas começa a voar para São Paulo e Foz do Iguaçu.

Futuramente deverá voar para Salvador da Bahia saindo de Buenos Aires (El Palomar ou Ezeiza). Atualmente, conta com 13 aviões Airbus A320ceo e A320neo nas duas divisões, e já encomendou o A321XLR para rotas de longo alcance.

Quem foi a Norwegian Argentina?

Assim como na matriz européia, a Norwegian mantinha a tradição de estampar personalidades

A Norwegian Argentina foi uma empreitada da empresa européia homônima. Foi fundada em 2017 após a abertura do mercado aéreo feita pelo presidente argentino Maurício Macri.

Nesta empolgação, chegou a anunciar que iria fazer voos de longo curso para os EUA e Caribe, além de voos para o Brasil (e rumores apontavam para até uma subsidiária brasileira).

Porém, tudo foi desmoronando aos poucos: uma crise na própria matriz Norwegian, somada à economia Argentina que não saiu da estagnação como esperado, além de mais concorrentes como a própria JetSmart, a Flybondi e a finada Avianca Argentina, mudaran as perspectivas.

O golpe final veio com a derrota de Macri nas urnas, que trouxe receio ao mercado com a volta de Cristina Kirchner, agora como vice-presidente. A ex-presidente sempre foi uma defensora da estatal Aerolíneas Argentinas e nunca fez questão de tirar a tarifa mínima para as passagens aéreas.

Após devolver para a matriz algumas das aeronaves recebidas, a Norwegian Argentina conta atualmente com apenas três 737-800 voando rotas domésticas.

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é Piloto Comercial, Despachante, Bacharel em Ciências Aeronáuticas, membro da AOPA e veterano da Western Michigan University #GoBroncos