Início Empresas Aéreas Definida a 1ª empresa das Américas a receber um Airbus A330-300 P2F

Definida a 1ª empresa das Américas a receber um Airbus A330-300 P2F

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Avião Airbus A330-300 P2F Convertido MasAir
Concepção gráfica do A330-300 P2F nas cores da MasAir – Imagem: MasAir / CDB Aviation

A empresa mexicana MasAir, que já foi operadora frequente de voos ao Brasil em um passado recente, assinou a encomenda de dois aviões Airbus A330 cargueiros convertidos para ampliar sua eficiência e capacidade, o que a tornará a primeira companhia das Américas a receber um jato do modelo escolhido.

A companhia latina, que em abril completou 29 anos de voos ininterruptos, tem atualmente dois Boeings 767 cargueiros, sendo um da variante menor 767-200F e outro da tradicional versão 767-300F, registrados respectivamente sob as matrículas N773AX e N363CM, conforme dados do Airfleets, e opera ainda o 767-300F de registro N420LA para a LATAM. Outros dois 767-300F já operaram no passado em sua frota.

Segundo anúncio da empresa de leasing responsável pelo fornecimento dos novos jatos, a CDB Aviation, subsidiária irlandesa do China Development Bank Financial Leasing Co., a MasAir encomendou dois A330-300 P2F (“Passenger to Freighter”), a versão cargueira que é obtida pela conversão do maior jato de passageiros da família A330 de primeira geração.

O contrato da companhia mexicana representa as duas primeiras posições de um acordo da CDB Aviation anunciado em novembro de 2020 com a alemã EFW para a conversão do tipo de aeronave. A entrega está programada para a MasAir durante o primeiro semestre de 2022.

Avião Airbus A330-300 P2F DHL EFW
A330-300 P2F – Imagem: EFW

Luis Sierra, CEO da MasAir, comentou: “Nosso passado proporcionou conhecimento, responsabilidade, segurança, um legado extraordinário e a melhor plataforma que nosso nova MasAir pode oferecer. Os A330-300 P2Fs da CDB Aviation fornecerão maior capacidade e eficiência, marcando o processo contínuo da MasAir em se tornar um player global na área de carga aérea. Com esses A330s adicionais, continuamos o caminho de crescimento de nossa frota com aeronaves mais eficientes e de maior alcance.”

Para Patrick Hannigan, CEO da CDB Aviation, o segmento de cargueiros de corpo largo e médio porte, servido hoje em dia por aeronaves de dois motores antigas, está pronto para crescer com a necessidade de uma nova geração de cargueiros. “Nossa decisão de entrar no mercado de conversão A330 P2F foi motivada pelo potencial deste ativo”, comentou o CEO.

“Estamos muito contentes por ter a MasAir a bordo, tornando-se a primeira operadora de A330-300 P2F nas Américas em 2022”, disse o Dr. Andreas Sperl, CEO da EFW. “O A330 P2F é considerado muito popular principalmente para o mercado de carga expressa, pois é um programa de fuselagem larga com grande capacidade, oferecendo mais volume de carga e menor custo por tonelada do que outros tipos de aeronaves cargueiras disponíveis com alcance semelhante.”

A Aerotransportes Mas de Carga, ou MasAir Cargo Airline, é uma companhia aérea de carga com sede na Cidade do México que opera aviões de carga desde 1992. Desde dezembro de 2018, a MasAir está sob uma nova estrutura de propriedade e gestão, com o Discovery Americas – um grande fundo mexicano de patrimônio privado – como acionista majoritário.

Avião Boeing 767-300F MasAir Cargo
Boeing 767-300F – Imagem: Alan Wilson / CC BY-SA 2.0, via Wikimedia Commons

A MasAir tem uma rede programada e fretada que se estende ao longo das Américas e agora está expandindo sua nova divisão ACMI com as aeronaves cargueiras adicionais.

Nota: conforme explica a Air Partner, ACMI é acrônimo, em inglês, de “Aeronave, Equipe técnica, Manutenção e Seguro”, um modelo de contrato de arrendamento de aeronaves feito exclusivamente entre duas companhias aéreas, pelo qual uma companhia aérea (o arrendador) fornece uma aeronave, tripulação, manutenção e seguro para outra companhia aérea (o arrendatário), que então paga pelas horas operadas. O locatário fornece combustível e cobre taxas aeroportuárias e de sobrevoo, bem como quaisquer outras taxas, impostos, etc.