Delta Air Lines vai cobrar R$ 1.100 por mês de funcionários não vacinados

Avião Airbus A330-200 Delta Air Lines

As redes sociais estão recheadas de reações mistas para com relação à nova medida tomada pela Delta Air Lines, que cobrará dos funcionários US$ 200 por mês (algo em torno de R$ 1.100 na cotação atual) se eles não se vacinarem contra a Covid-19. O objetivo é cobrir custos de seguro-saúde, haja vista que, segundo a empresa, a média de internação hospitalar para casos do vírus custa US$ 40.000.

Segundo o The Wall Street Journal, o CEO Ed Bastian disse que todos os funcionários que foram hospitalizados com o vírus nas últimas semanas não estavam totalmente vacinados. A companhia aérea disse que também deixará de estender a proteção salarial aos trabalhadores não vacinados que contraírem a doença após 30 de setembro, e exigirá que os trabalhadores não vacinados façam testes semanais a partir de 12 de setembro, embora a Delta cubra os custos. Além do mais, eles terão que usar máscaras em todos os ambientes internos da empresa.

“Essa sobretaxa será necessária para lidar com o risco financeiro que a decisão de não vacinar está criando para nossa empresa”, disse Bastian em um memorando aos funcionários. Bastian disse que 75% dos funcionários da Delta estão vacinados. Ele disse que a agressividade das novas cepas do vírus “significa que precisamos ter muito mais pessoas vacinadas, e o mais próximo possível de 100%”.

A Delta e a United já exigem que os novos contratados sejam vacinados. Outras grandes companhias aéreas dos Estados Unidos, incluindo American e Southwest, dizem que estão incentivando os funcionários a se vacinarem, mas não tornaram isso mandatório.

Um número crescente de empresas tem tomado a decisão de tornar obrigatória a vacinação entre seus funcionários. No Brasil, embora a lei permita, poucas anunciaram oficialmente tal medida. Dentre as empresas aéreas, a GOL informou nesta quinta (26) que tornou mandatória a vacinação em toda sua equipe.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias